TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

MISSÕES 12 - CHAMADOS PARA PROCLAMAR AS VIRTUDES DE DEUS

CHAMADOS PARA PROCLAMAR AS VIRTUDES DE DEUS

Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1 Pe 2:9).
Com estas palavras o apóstolo Pedro define o ministério do povo de Deus. Chamados para proclamar as virtudes de Deus.
Proclamar é mais do que simplesmente falar de Deus. O apóstolo Pedro está pensando em testemunho vivo, por meio de palavras e ações, basta lermos o que diz para os cristãos que se encontravam como peregrinos e forasteiros: Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais que fazem guerra contra a alma, mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação(...) Porque assim é a vontade de Deus, que pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos (1 Pe 2:11,12,15).
O apóstolo Pedro chama a Igreja para a prática do bem, para um testemunho que venha glorificar a Deus.
           A Igreja está inserida em um mundo que se encontra rodeado, sufocado pelas trevas (Ef 6:12; 1Jo 5:19), exatamente neste contexto que a Igreja precisa proclamar. O mundo precisa ouvir e ver esta proclamação. Por meio da Igreja Deus se faz conhecido aos homens. A Igreja é o Corpo de Cristo (1 Co 12:27). Somos individualmente Corpo de Cristo, portanto é por meio de nós que Deus se fará conhecido aos homens.  
“O povo de Deus precisa sempre estar se auto-examinando e indagando se, porventura, muitas vezes não está sendo uma fotografia às avessas, por causa do seu testemunho equivocado. Quando apregoa uma boa doutrina, mas não põe em prática em seus atos os valores decorrentes desta doutrina, a Igreja compromete a revelação de Deus ao mundo. Foi, assim, com Israel em vários momentos de sua história, não menos, tem sido deste modo com a Igreja em muitas ocasiões”[1]
Nas boas obras refletimos a imagem do nosso Senhor, quando visitamos os enfermos, os encarcerados; quando oramos pela nossa nação, família, amigos; quando dividimos nosso pão com os pobres; quando lutamos pela justiça, paz; sim, quando agimos proclamamos. Portanto dizermos que temos fé em Cristo Jesus, mas não demonstrarmos, isto é, não termos ações, obras que demonstrem essa fé, nos coloca como alvos das palavras de Tiago: Se um irmão ou uma irmã estiver carecido de roupa, e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos, e fartai-vos, sem, contudo, lhes dardes o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? Assim também a fé, se não tiver obras, por si só está morta (Tg 2:15-17).
Somos chamados para proclamar as virtudes de Deus. Não somos chamados para proclamar qualquer virtude ou as virtudes de qualquer pessoa. Nisto se consiste o ministério do povo de Deus em manifestar as virtudes daquele que vos chamou das trevas.
Não somos chamados para proclamarmos um Deus físico, para apresentar ao mundo uma figura que possam adorar. Pelo contrário, somos chamados para apresentar o caráter de Deus, suas virtudes, seus desejos. É verdade que o homem tem um profundo desejo em conhecer a imagem de Deus. Prova disso está no fato de que há anos estudam o santo sudário tentando responder a seguinte pergunta: Será realmente o retrato de Jesus Cristo estampado no santo sudário? Deveríamos fazer outras perguntas: em que isso mudará nossa fé? Provando que o santo sudário seja realmente de Cristo, quais as conseqüências dessa descoberta? Muitos não passariam a adorar o santo sudário em vez do próprio Cristo?
Deus manifestou suas virtudes em toda história da humanidade, e mais especificamente na história do povo de Israel. Nas escrituras encontramos o caráter de Deus, suas virtudes, seus desejos mais profundos para o homem, sua relação com o homem, seu modo de se relacionar com o homem. Deus nos chama para revelarmos tudo que conhecemos Dele.
A grande verdade do Deus encarnado não se encontra em seu aspecto físico, mas em suas virtudes, em seu caráter e em seus ensinos.

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO:
1)      O que Pedro quis dizer com “proclamar as virtudes daquele que nos chamou”?
2)      Em Mt 5:16 está escrito que devemos fazer brilhar nossa luz diante dos homens, para que vejam as nossas boas obras. Por que Jesus pede que façamos brilhar Sua luz que em nós habita?
3)      Baseado no texto acima podemos dizer que Jesus pede para anunciarmos tudo o que fazemos de bom? Leia Mt 6:1-4 procure agora com os dois textos em mãos compreender o que Jesus está querendo nos ensinar a respeito de nossas boas obras. Defina em poucas palavras o que você compreendeu.



[1] MARCONDES FILHO, Juarez. Semeando entre os Espinhos. Curitiba: Badi – Centro de Produções Gráfica, 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS