TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 18 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 689 - ATITUDES NOS RELACIONAMENTOS QUE PRECISAM SER CUIDADAS (2)


REFLEXÃO 342 - A NOITE MAIS ESCURA DA HISTÓRIA

A NOITE MAIS ESCURA DA HISTÓRIA

A literatura clássica dos gregos via a noite com um caráter negativo. A noite é ominosa, agourenta e imprime nos homens um sentimento de medo; a deusa grega da noite sempre esteve ligada à magia e à feitiçaria.

Nas páginas tanto do Velho Testamento quanto do Novo Testamento, a noite se veste das mesmas roupagens.

É a hora da bebedeira em Gen. l9. Foi no período da noite que as filhas de Ló embriagaram o pai para ter com ele um relacionamento incestuoso;

É a hora dos desmandos sexuais em Juiz. l9, quando um grupo de homens abusaram a noite inteira da esposa de um levita;

É a hora da prática do ocultismo em I Sm. 28. Foi nas caladas da noite que Saul foi em busca da pitonisa de Endor a fim de que ela pudesse evocar o espírito de Samuel;

É a hora da morte em Ne. 6:l0. Do espírito de morte sair em busca de suas vítimas. Neemias, vamos nos esconder na Casa do Senhor porque hoje, na escuridão da noite, os teus inimigos virão para te matar;

É a hora da preocupação com os ataques malignos em Jó 7. "ordenaram a mim meses de escassez e noites de aflições";

É a hora do terror no salmo 9l. Do terror noturno;
É a hora da negação em Mt. 26:34. "Pedro, nesta noite, antes que o galo cante tu me negarás três vezes";

No texto lido nesta noite, é a hora da traição. (Jo. l3:21-30). Então Judas Iscariotes tendo recebido o pedaço de pão molhado no vinho, saiu logo. ERA NOITE.
De todas as noites descritas acima, esta é a mais terrível delas. A noite da traição. A noite que levava Jesus às agonias da cruz. Esta seria entre todas as demais, A NOITE MAIS ESCURA DA HISTÓRIA. Tema da nossa mensagem nesta noite.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 688 - AS PARÁBOLAS DA PÉROLA DE GRANDE VALOR E DO TESOURO ESCONDIDO (2)


REFLEXÃO 341 - A NOITE ESCURA DA ALMA

A Noite Escura da Alma

Deparou o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe. Jonas 1.17

Jonas foi enviado ao ventre do grande peixe a fim de preparar seu sermão para Nínive.

São João da Cruz, um Cristão do passado escreveu um livro, cujo título era "A Noite Escura da Alma" neste livro, ele descreve o processo da provação a qual o cristão passa, na qual ele se vê completamente sozinho e sem forças. É a agonia profunda da alma, o vale da sombra da morte, pelo quais muitos cristãos ao longo da existência têm de passar.
Foi a experiência de José antes de ser exaltado por Deus; foi a experiência de Moisés no deserto; a experiência de Davi, perseguido por Saul; a experiência de Jó; a experiência de Jesus no Gestsêmani e principalmente no período entre a morte e a ressurreição; a experiência de Jonas, três dias e três noites no ventre da Baleia.

"Deus sussurra em nossos ouvidos por meio de nosso prazer fala-nos mediante nossa consciência, mas clama em alta voz por intermédio de nossa dor; esta é seu megafone para despertar um mundo surdo".
C. S. Lewis

terça-feira, 16 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 687 - AS PARÁBOLAS DA MOSTARDA E DO FERMENTO (2)


SERMÕES 7 - A NOITE EM QUE JESUS ME RESTAUROU

A NOITE EM QUE JESUS ME RESTAUROU
JOÃO 21:15-19
Antonio Carlos Barro


INTRODUÇÃO
1. Os discípulos estavam pescando no mar de Tiberíades. Era uma pesca infrutífera (v.3).
2. Jesus se apresenta aos seus discípulos e sob o seu comando eles lançam novamente as redes e agora com grande sucesso.
3. Todavia, a pessoa que Jesus esta mais interessado em encontrar é Pedro:
Pedro o havia negado por 3 vezes na noite em que Jesus foi interrogado
Pedro era parte importante no plano de Jesus para a divulgação do evangelho após a sua partida
Pedro teria que passar pelo processo da restauração
4. Aprendamos junto com Pedro o processo de restauração.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 686 - ALIANÇA ENTRE IRMÃOS (2)


SERMÕES 6 - A NOITE EM QUE JESUS FOI TRAÍDO

A NOITE EM QUE JESUS FOI TRAÍDO
I CO 11:23
REV. ANTONIO CARLOS BARRO
INTRODUÇÃO:
1. Talvez não existe mais momento cruciante no ministério de Jesus do que participar com os seus discípulos da instituição da Ceia do Senhor.
2. Ao mesmo tempo em que Jesus instituiria o sacramento da Ceia que para sempre lembraria a sua morte, ele também experimentaria o sentimento de ter sido traído por um dos seus discípulos.

TRANSIÇÃO:
Muitos aqui estão experimentando ou experimentaram em seus relacionamentos situações semelhantes a de Jesus. O nosso propósito é trazer uma palavra de consolo a estes corações.
Algumas lições devemos aprender com Jesus na noite em que ele foi traído:

quinta-feira, 11 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 685 - A MENSAGEM QUE PRECISA SER PREGADA (2)


SERMÕES 5 - A NOITE EM QUE EU TRAÍ JESUS

A NOITE EM QUE EU TRAÍ JESUS

MATEUS 26: 69-75

Introdução:
De acordo com o Evangelho de Joao, Pedro estava no pátio do sumo sacerdote para acompanhar todos os detalhes do julgamento de Jesus - um ato de coragem do apóstolo. Pedro, todavia, não imaginava que ele mesmo seria julgado ao mesmo instante em que o seu amigo Jesus era julgado - Pedro não estava preparado.

Transição:
Precisamos recordar algumas palavras de Pedro antes deste incidente, cf. Mt 26:31-35
1. Jesus nunca será um tropeço para mim; 2. Eu morrerei contigo; e 3. De modo nenhum eu te negarei.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 684 - A VOLTA DE JESUS (2)


REFLEXÃO 340 - A NOITE EM JERUSALÉM

           À Noite em Jerusalém

            Como aquela viagem para Jerusalém deve ter sido agonizante para
            Jesus!  O único homem capaz de realmente entender o completo
            significado do amor e da misericórdia de Deus visita o centro
            espiritual de Israel e é esbofeteado com a superficialidade e o
            desdém em relação a tudo o que se relacionava com Deus.  Em vez de
            adoradores agradecidos comemorando a libertação da Páscoa, ele
            encontra mercadores abusando da casa de Deus.  E agora, quando o
            Cordeiro de Deus se apresenta aos que deviam estar ansiosos para
            abraçar o Messias, eles mostram pouco mais do que um interesse
            passageiro.  "Veio para o que era seu, e os seus não o receberam"
            (João 1:11).

sexta-feira, 5 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 682 - A PARÁBOLA DA REDE (2)


HALLOWEEN 1 - A NOITE DE HALLOWEEN

A Noite de Halloween
 Efésios 6:12
Há cerca de três anos precisei ir a um shopping center na zona sul de São Paulo, e deparei com um grande tumulto numa das lojas. Uma verdadeira multidão aguardava do lado de fora para entrar na loja entulhada de gente. Funcionários forneciam senhas e, no corredor do shopping, seguranças tentavam a todo custo colocar ordem naquele caos inesperado. Crianças chorando e pais aflitos compunham a cena. Mas qual era o motivo daquela histeria coletiva? Aqueles pais desejavam comprar para os seus rebentos fantasias e trajes para a "festa" de halloween ou, o popularmente conhecido dia das bruxas. Popular? Sim. Muito popular. Principalmente nos Estados Unidos da América. De onde vem o halloween? Trata-se de um evento originário entre os celtas, povo que habitava a Irlanda e a Grã-Bretanha, sendo comemorado desde há 2.500 da era cristã. 

quinta-feira, 4 de maio de 2017

SERMÕES 3 - EU ME AMO

EU ME AMO!

A Bíblia nos apresenta como vencedores e diversos versículos afirmam esta verdade. Por exemplo:
·     Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. (Romanos 8:37)
·     Mas graças a Deus, que sempre nos conduz vitoriosamente em Cristo e por nosso intermédio exala em todo lugar a fragrância do seu conhecimento; (2 Coríntios 2:14)
·     Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Coríntios 15:57)
Alguns pregadores não compreendendo estes versos no contexto de toda Bíblia tem criado uma teologia triunfalista levando muitos a pensarem que ao servirem a Jesus Cristo e tomando posse de Suas palavras terão uma vida só de vitórias e de isenções do mal presente neste mundo. De alguma forma viverão protegidos numa bolha espiritual. Entretanto veremos que isso não é verdade. Mas não podemos negar que somos mais que vencedores. Sobre o que vencemos?

MENSAGEM EM VÍDEO 681 - EU ME AMO


MENSAGEM EM VÍDEO 680 - A PALAVRA DE DEUS (2)


TEOLOGIA 20 - A NECESSIDADE DE UMA REVELAÇÃO DIVINA

A Necessidade de uma Revelação Divina

 1.1 - Introdução - O amor de Deus jamais poderia se contentar em apenas criar a raça humana e deixá-la em total ignorância a respeito de sua origem, seu uso e seu destino, além de sua própria relação com o Criador. Para que os homens pudessem ser responsáveis diante de Deus, e a vontade d'Ele lhes fosse manifesta, o próprio Deus dispôs a cada um dos homens os meios de conhecimento de Seus propósitos e de conjunção com Ele.
1.2 - Os meios de se conhecer o Criador - A natureza é uma revelação do Criador. O primeiro modo pelo qual Deus revelou a Sua Vontade e Sabedoria foi através da obra da criação, isto é, por meio da própria natureza, como diz o Salmo 19 (vers.1): "Os céus manifestam a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos".
1.3 - O universo é uma imagem do Criador - Como não poderia deixar de ser, o caráter Divino do Criador foi impresso em todas as coisas criadas do universo. Por isso, as obras criadas são como um espelho em que se pode contemplar a Ordem original da criação, o caráter e a vontade Divinos. Como disse o apóstolo Paulo, em sua carta aos Romanos (1:20): "Porque as Suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o Seu poder como a Sua Divindade, se estendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas". Isto também era conhecido pelos sábios da antigüidade, como vemos por várias afirmações de filósofos, tais como: "A natureza é um livro escrito em ambos os lados, de dentro e de fora, em que o dedo de Deus se acha distintamente visível" - Schelegel. "Todas as coisas na natureza são esboços proféticos de operações Divinas: Deus não somente falando as parábolas, mas fazendo-as" - Tertuliano

quarta-feira, 3 de maio de 2017

ESTUDOS 140 - A NECESSIDADE DE UM REDENTOR

A Necessidade de um Redentor
1
Qual era a condição do homem no princípio?
"Eis o que tão somente achei: que Deus fez o homem reto, mas ele se meteu em muitas astúcias." Eclesiastes 7:29.
"O homem foi dotado originalmente com nobres faculdades e uma mente bem equilibrada. Era perfeito em sua natureza e estava em harmonia com Deus. Seus pensamentos eram puros e seus desígnios eram santos." CC 13.

2
Qual foi o modelo usado por Deus ao fazer o homem?
"Também disse Deus: Façamos o homem à Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança;...Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou." Gênesis 1:26-27.

MENSAGEM EM VÍDEO 679 - A LEI DA SEMEADURA (2)


terça-feira, 2 de maio de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 678 - A GRANDE COMISSÃO (2)


ESTUDOS 139 - A NECESSIDADE DE UM INTERCESSOR

 A Necessidade de um Intercessor

"Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a Ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra" ( Is.62.6 )
"Viu que não havia ajudador algum, e maravilhou-se de que não houvesse intercessor; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a Salvação, e a sua própria justiça o susteve" ( Is.59.16 )
"Olhei, e não havia quem me ajudasse, e admirei-me de não haver quem me sustivesse; pelo que meu próprio braço me trouxe a salvação..." ( Is.63.5 )
"Já não há ninguém que invoque o teu nome, que se desperte, e te detenha..." (Is.64.7)
"Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim a favor desta terra, para que eu não a destruisse, mas a ninguém achei" (Ez.22.30)
Os textos deixam claro que Deus não age na terra a não ser como resultado da intercessão feita por um residente do planeta terra, um filho do homem. Qual a razão?
"Os céus são os céus do Senhor mas a terra deu-a Ele aos filhos dos homens" (Sl.115.16 ).
Deus não viola jamais a Sua Palavra. Ele respeita a criatura que fez e as escolhas que o homem faz. Deus fez o homem semelhante a Ele, com capacidade de escolha, e o respeita como tal.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 677 - A HISTÓRIA DO CASAMENTO EM CANÁ (2)


MENSAGEM EM VÍDEO 676 - A FAMÍLIA E A IMAGEM DE DEUS (2)


ESTUDOS 138 - A NECESSIDADE DE APROPRIAÇÃO

A Necessidade de Apropriação
Apocalipse 3.18

“Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar”. – NVI
 

Introdução

Não vou fazer exatamente um sermão hoje... vou lhes contar algo que o Senhor me tem ensinado ultimamente.
 
Que você acha: Há coisas que, como crentes, temos que “comprar” do Senhor?
O texto diz que temos que comprar ouro refinado no fogo, roupas brancas e colírio (estas palavras estão todas com conceito espiritual).
“Ouro refinado no fogo”, é a verdadeira riqueza (vai nos dar abundância na terra e tesouros no céu).
No mundo físico, quem é rico tem muito poder (não é?): a pessoa pode comprar tudo o que este mundo oferece, pode fazer muita coisa que um pobre não pode.
No mundo espiritual, a riqueza também significa poder (mas uma riqueza e poder diferente (João Batista profetizou que Jesus batizaria com o Espírito Santo e com fogo; Jesus disse que esse batismo era um batismo de poder)
É isso: o poder espiritual é algo que temos que comprar – mas nessa compra, o que nos cabe é apenas receber, porque o pagamento já foi feito, na cruz! Aleleuia!
O texto também menciona “roupas brancas”. Isto se refere à purificação do nosso velho homem (ou homem natural).
Nossas vestes espirituais precisam ser purificadas, alvejadas (isto é conseguido através do processo de cura interior [para a alma] e de libertação [para o espírito]).
O “colírio”, finalmente, é o antídoto ao engano com que fomos enganados, no passado, por Satanás, que trouxe trevas à nossa visão.
Esse colírio purificará os nossos olhos de todo choro. Aleluia!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 672 - VIVENDO SEM MEDO DAS SITUAÇÕES INCONTROLÁVEIS (2)


ESTUDOS 137 - A NECESSIDADE DA FÉ

A Necessidade da Fé

"De fato sem fé é impossível agradar a Deus" (Hb. 11:6)
"... mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé, naqueles que a ouviram" (Hb. 4:2).

A conexão entre estes dois versículos nos mostra como é vã toda a atividade religiosa onde não há fé. A atividade exterior deve ser realizada correta e diligentemente, mas a menos que a fé esteja em operação, Deus não é honrado e a alma não é edificada. A fé abre o coração para Deus, e fé é o que se recebe de Deus; não uma mera aceitação do que é revelado em Sua Palavra, mas um princípio sobrenatural de graça que existe no Deus das Escrituras. Isso o homem natural, não importa o quanto religioso ou ortodoxo ele seja, não tem e nenhum de seus esforços, nem atos da sua vontade , podem adquirir. É um dom supremo de Deus.

TEOLOGIA 19 - A NATUREZA DA TEOLOGIA

A Natureza da Teologia

Ricardo Bellei


1. Definição e objeto da Teologia

O termo Teologia é de origem grega, e etimologicamente significa: tratado, ciência de Deus. O termo começou a ser utilizado pelos cristãos a partir de Euzébio de Cesarea. A partir de então será entendido como a exposição metódica e estruturada da Revelação aceita pela Fé.

Seria compreender e penetrar nas verdades reveladas à luz da razão iluminada pela fé.

Ou melhor, poderíamos defini-la como: a ciência na qual a razão do crente, guiada pela fé teologal, se esforça em compreender melhor os mistérios revelados em si mesmos e em suas conseqüências.


quinta-feira, 13 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 666 - VENCENDO A TEMPESTADE (2)


REFLEXÃO 339 - A NATUREZA PECAMINOSA

A Natureza Pecaminosa



Um escorpião desejando atravessar o rio pediu uma carona para a rã.
A rã respondeu: Você acha que eu sou louca em deixar você subir nas minhas costas? No meio do rio você vai me ferroar e eu morro.
Se eu fizer isso, também morrerei afogado, argumentou o escorpião. A rã, convencida pela argumentação do escorpião, permitiu que ele subisse em suas costas e iniciou a travessia do rio.
No meio do rio o escorpião aplicou-lhe uma tremenda ferroada.
Porque fez isto? Agora ambos morreremos, disse a rã.
Desculpe, mas é a minha natureza, disse o escorpião.
Por que pecamos? Porque é nossa natureza. Por isso é tão fácil pecar. Só o poder de Deus pode transformar a nossa natureza pecaminosa.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 665 - TENDE BOM ÂNIMO (2)


ESTUDOS 136 - A NATUREZA HUMANA

A NATUREZA HUMANA

Ec 12.6,7 [Lembra-te do teu Criador] "antes que se quebre a cadeia de prata, e se despedace o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se despedace a roda junto ao poço, e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu."
De todas as criaturas que Deus fez, o ser humano é incomparavelmente superior e também a mais complexa. Por seu orgulho, no entanto, o ser humano comumente se esquece de que Deus é o seu Criador, que ele é um ser criado, e que depende de Deus. Este estudo examina a perspectiva bíblica da natureza humana.

A NATUREZA HUMANA À IMAGEM DE DEUS
(1) A Bíblia ensina claramente que Deus, mediante decisão especial criou a raça humana, à sua imagem e semelhança (Gn 1.26,27). Portanto, nem Adão nem Eva são produtos de evolução (Gn 1.27; Mt 19.4; Mc 10.6; ver o estudo A CRIAÇÃO). Por terem sido criados à semelhança de Deus. Adão e Eva podiam comunicar-se com Deus, ter comunhão com Ele e espelhar o seu amor, glória e santidade (ver Gn 1.26 nota).
(2) Note-se pelo menos três diferentes aspectos da imagem de Deus na raça humana (ver Gn 1.26 nota): Adão e Eva tinham semelhança moral com Deus, por serem justos e santos (cf. Ef 4.24), com um coração capaz de amar e também determinado a fazer o que era bom. Tinham semelhança com Deus na inteligência, pois foram criados com espírito, emoções e capacidade de escolha (Gn 2.19,20; 3.6,7). Deus plasmou no ser humano a imagem em que Ele mesmo lhe apareceria visivelmente no AT (Gn 18.1,2), e na forma que seu Filho um dia tomaria (Lc 1.35; Fp 2.7).
(3) Quando Adão e Eva pecaram, essa imagem de Deus neles, foi seriamente danificada, mas não totalmente destruída. (a) Inevitavelmente, a semelhança moral de Deus, no homem, ficou arruinada quando Adão e Eva pecaram (cf. Gn 6.5); deixaram de ser perfeitos e santos e passaram a ser propensos ao pecado; propensão esta, ou tendência que transmitiram aos filhos (cf. Gn 4.; ver Rm 5.12 nota). O NT confirma o estrago da imagem de Deus no homem, quando declara que o crente redimido deve ser renovado segundo a semelhança moral de Deus (cf. Ef 4.22,24; Cl 3.10); e (b) Apesar de o ser humano ser pecador como é, ainda retém uma porção elevada da semelhança de Deus, na sua inteligência, e na capacidade de comunhão e comunicação com Ele (cf. Gn 3.8-19; At 17.27,28).

sexta-feira, 7 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 663 - TIRANDO O FERMENTO (2)


ANJEOLOGIA 1 - A NATUREZA DOS ANJOS

A natureza dos anjos

Introdução:
Antes da criação do homem, Deus criou os anjos dando-lhes personalidade, inteligência e responsabilidade moral. Porém, a despeito da similaridade moral e espiritual com o homem, os anjos possuem algumas características peculiares. Ao estudarmos a natureza dos anjos, poderemos entender suas atividades.

I - Objeções à Doutrina Bíblica dos Santos
Em toda a história da humanidade, a realidade dos anjos tem sido discutida, contestada por uns e acreditada por outros. Por essa razão tem-se criado outras doutrinas com o fim de negar a existência dos anjos, ou de admiti-la fantasiosa e ficticiamente. Dentre essas falsas doutrinas, destacamos algumas:
1. A doutrina dos saduceus. Eles não acreditavam na existência dos anjos nem na ressurreição dos mortos (At 23.8). A essência da doutrina dos saduceus era materialista, por isso, para eles, a doutrina dos anjos não passava de uma mera alegoria.
2. A doutrina racionalista. Os racionalistas entendem que a crença na existência dos anjos é absurda, pois acreditar que os anjos existem significa entrar na ficção e abandonar a razão. Eles vêem na doutrina dos anjos uma forma de politeísmo primitivo que com o tempo, foi tomando forma na vida dos hebreus. Ora, a acusação de que a crença nos anjos seja uma forma de politeísmo primitivo se choca frontalmente com o monoteísmo pregado pelo povo hebreu. Os anjos não são deuses; são apenas seres espirituais criados por Deus para o servirem.
3. A doutrina materialista. Essa doutrina nega tenazmente a existência do mundo espiritual, e por conseguinte, os anjos. Acreditam apenas na matéria e nada que vá além da matéria.
4. A doutrina espírita. O espiritismo ensina que os anjos são as almas dos mortos que alcançaram um grau máximo de perfeição. Essa doutrina nega a existência distinta dos anjos como criaturas de Deus, bem como a existência dos demônios, os quais, segundo ensinam, são almas desencarnadas dos maus.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 662 - TEMOR A DEUS A BASE DE UMA VIDA BEM SUCEDIDA (2)


SERMÕES 4 - DANÇANDO COM DEUS

DANÇANDO COM DEUS

Iremos refletir sobre a seguinte pergunta: Qual o elo entre a cruz, Jesus e a redenção da humanidade?
Para entendermos melhor a profundidade desta história convido você a mergulhar comigo no tempo antes do princípio (Gn -1).
Gênesis 1:1 - No princípio Deus criou os céus e a terra. - E o texto segue descrevendo toda criação, até que no sexto dia Deus cria o homem a Sua imagem e semelhança. Mas o que existia antes de toda criação? Somente Deus. Todas as coisas se originam de Deus. Como vivia Deus antes de criar o universo e o homem? É difícil descrever a vida da Trindade Santíssima, contudo a Bíblia nos dá alguns flashes.
Os teólogos afirmam que a trindade mesmo antes de toda criação vivia num movimento coreográfico perfeito e harmonioso.
Os teólogos chamam esta dança de PERICHORESIS

sexta-feira, 31 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 661 - SINAIS DO CÉU DE QUE A BÊNÇÃO VEM (2)


ESTUDOS 135 - A NATUREZA DO PECADO HUMANO

A NATUREZA DO PECADO HUMANO
SAL-106:1-48

INTRODUÇÃO: Este Salmo é uma oração do Salmista feita a Deus, expondo a situação do Povo de Israel durante a escravidão no Egito e a peregrinação no Deserto, retrata as derrotas e sofrimentos do povo em conseqüência do pecado.

01) ESQUECIMENTO DE DEUS:
a)DA SUA BONDADE: V-7 (O poder de Deus na libertação do povo) nossos pais no Egito não atentaram as Tuas maravilhas, não se lembraram da multidão das Tuias misericórdia, e foram rebeldes junto ao mar vermelho.
b)DAS TUAS OBRAS: V-13 (no mar vermelho) Esqueceram das Tuas Obras e não lhe agradaram os desígnios.
c)DA TUA SALVAÇÃO: V-21 Esqueceram-se de Deus, seu Salvador que no Egito, fizera coisas poderosas.

quinta-feira, 30 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 660 - SETE PRINCÍPIOS PARA O SEU DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL (2)


ESTUDOS 134 - A NATUREZA DA VERDADEIRA ADORAÇÃO

A Natureza da Verdadeira Adoração

·        A verdadeira adoração é prestada a Deus somente por aqueles que nasceram do Espírito de Deus. "Aquele que é nascido da carne, é carne", disse Jesus e portanto, toda assim chamada adoração feita por pecadores não regenerados é carnal. Somente um coração regenerado pode cantar a nova canção (Sl.40:3).
·        A verdadeira adoração só pode ser realizada através do Espírito Santo. "Os verdadeiros adoradores adoram o Pai em espírito" disse Jesus e, portanto, unicamente através da iluminação que o Espírito Santo concede a nossas mentes, e os sentimentos dela produzidos em nossos corações é que nossa adoração pode ser edificante para nós e agradável a Deus. Os dons de liderança concedidos pelo Espírito a pastores e mestres são uma parte essencial de adoração pública.

quarta-feira, 29 de março de 2017

SERMÕES 3 - O HOMEM E A ORAÇÃO


O HOMEM E A ORAÇÃO

1Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens;
2pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.
3Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador,
                                                                                                                (1 Timóteo 2:1-3)

1 - O que é oração?
·         Falar com Deus. (em parte)
o   Ela entra em nossas agendas como um programa, parte de um rito.
o   Falta intimidade - “faça a Tua vontade”.

2 - O que é oração?
·         Jonathan Edwards: comunhão consciente com Deus. Relacional – quando tenho intimidade:
o   “apresento minha vontade a Deus”.
o   me apresento como sou (me visto e falo como sou, mas aberto a melhorar)

SERMÕES 2 - DANÇANDO COM DEUS

DANÇANDO COM DEUS

Iremos refletir sobre a seguinte pergunta: Qual o elo entre a cruz, Jesus e a redenção da humanidade?
Para entendermos melhor a profundidade desta história convido você a mergulhar comigo no tempo antes do princípio (Gn -1).
Gênesis 1:1 - No princípio Deus criou os céus e a terra. - E o texto segue descrevendo toda criação, até que no sexto dia Deus cria o homem a Sua imagem e semelhança. Mas o que existia antes de toda criação? Somente Deus. Todas as coisas se originam de Deus. Como vivia Deus antes de criar o universo e o homem? É difícil descrever a vida da Trindade Santíssima, contudo a Bíblia nos dá alguns flashes.
Os teólogos afirmam que a trindade mesmo antes de toda criação vivia num movimento coreográfico perfeito e harmonioso.
Os teólogos chamam esta dança de PERICHORESIS
- peri (radical) = ao redor, envolta à “periferia”
- chore (radical) = dança à coreografia
- esis (sufixo) = usado para ações ou processo.
Por isso o tema de nossa mensagem: Dançando Com Deus.

SERMÕES 1 - O PARADOXO DA FÉ

REFLEXÃO SALMO 73 – O PARADOXO DA FÉ

Ø Por que paradoxo? Existe um mito no campo religioso de que ao servirmos a um Deus justo, certamente ele abençoará os justos e punirá os ímpios no tempo presente. Dizem: “aqui se faz, aqui se paga”. Este mito foi construído sem a perspectiva da eternidade, o que acabou criando um paradoxo em nossa fé. Por isso o nosso título.
Ø Quanto à autoria? Dizem ser de Asafe, mas não é algo unânime entre os estudiosos do A.T. Contudo consideraremos sendo de autoria de “Asafe”.
Ø Quem era Asafe? Um judeu, da tribo de Levi, e músico por vocação. Participou do magnífico cortejo musical que levou a Arca do Senhor da casa de Obede-Edom para a tenda armada pelo rei Davi em Jerusalém. Naquele dia o rei Davi o descobriu e fez dele ministro de música nos serviços religiosos de Jerusalém.
Ø Este salmo começa com a afirmação “certamente Deus é bom”. Essa afirmação inicial é na verdade a conclusão do autor sobre Deus, após quase ter perdido a fé, conforme ele descreve no verso 2 - Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei.
Ø O que levou o autor a quase abandonar sua fé? A razão que o levou quase a se perder está descrito no verso 3. Ele passou a olhar para os ímpios e viu o quanto eles prosperavam.
Ø PRIMEIRO PARADOXO DA FÉ: O ímpio prospera

MENSAGEM EM VÍDEO 659 - SERÁ QUE EU POSSO SER UM VASO DE BENÇÃOS NAS MÃOS DE DEUS? (2)


terça-feira, 28 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 658 - SEJA VALENTE SENDO VOCÊ MESMO (2)


MÁGICA 1 - A NATUREZA DA MÁGICA

A NATUREZA DA MÁGICA uma abordagem Hermética

DE ADAPA (Twin Rivers Rising, 1995-1997)
O que é mágica? Esta é uma questão que, mesmo em círculos esotéricos, levanta muita discussão. Vários autores e filósofos em todas as épocas teceram variadas interpretações a respeito do assunto. Entretanto, os elementos-chave de todas as definições existentes parecem concordar em apenas um ponto: Mágica envolve o uso da mente humana para causar uma alteração: Mudança no mundo, mudança do próprio indivíduo, mudança para com os outros. Aleister Crowley definiu mágica como " a Arte ou Ciência de causar uma mudança. Para que esta ocorra em conformidade com a Vontade " (1). Doreen Valiente define mágica como " a ciência do controle das forças secretas da natureza" (2). Scott Cunningham chama mágica de " movimento de energias naturais para criar uma mudança necessária" (3). Mas é Margot Adler que tem a definição que considero ser a mais interessante de todas. Ela diz:
 " Mágica é uma palavra conveniente para toda uma coleção de técnicas, todas as quais envolvem o uso da mente. Neste caso, veremos que todas estas técnicas envolvem a mobilização da confiança, vontade e emoção, direcionadas a partir do reconhecimento da necessidade, do uso das faculdades da imaginação, principalmente através da habilidade de visualizar, a fim de entender como outros seres funcionam na natureza para que possamos usar este conhecimento de forma a atingir os fins necessitados " (4).

sexta-feira, 24 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 657 - SANTIFICADOS E CHAMADOS À SANTIDADE (2)


ECLESIOLOGIA 32 - A NATUREZA DA IGREJA

A NATUREZA DA IGREJA

Para que possamos entender qual a natureza da igreja, precisamos conhecer os seus fundamentos. E, o fundamento da igreja consiste em alicerce posto pelo próprio Jesus, que dirigindo-se a seus discípulos na chegada às partes de Cesaréia de Filipo, interrogou-lhes dizendo: "Quem dizem os homens ser o Filho do homem?", ao que os discípulos responderam: Uns dizem que és João Batista, outros que és Elias, outros Jeremias, ou algum dos profetas. Jesus, perguntou-lhes então: "E vós, quem dizeis que eu sou?". Neste ponto o escritor registrou a mais bela e ousada das afirmações do apóstolo Pedro, "Tu és o Cristo, o Filho de Deus Vivo". Esta colocação de Pedro ensejou Jesus a revelar o grande propósito de sua vinda como enviado do Pai, para consumar completamente o projeto de salvação do homem caído e separado de Deus. "Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque tu não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.". (Mat. 16:13-19).

quinta-feira, 23 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 656 - RESPONDENDO AS QUESTÕES BÁSICAS DE NOSSA EXISTÊNCIA (2)


MÚSICA 2 - A MÚSICA NA IGREJA: DOM DE DEUS PARA NÓS

A música na Igreja: Música Dom de Deus para nós

Ser à imagem e semelhança de Deus significa ter características divinas.
Deus é amor e deu ao ser humano capacidade para amar. Deus tem propósitos, e ensina o homem e a mulher a caminharem com objetivos. Deus é criador, e deu à criatura capacidade de criar.
A finalidade da criação é adorá-lo em seus atos e pensamentos. O ser humano é capaz de criar a fim de que alcance, reafirme, deleite-se e expresse algo de si aos outros e ao seu criador. A música é um Dom dado por Deus ao homem para dela criar algo belo que retorne a Deus e transmita mensagens ao seu semelhante levando-o a ter também uma experiência íntima com o Criador.
Na cultura antiga a arte musical e a arte geral era tratada com seriedade como parte predominante na vida diária.
A Igreja, na Idade Média, dominava a sociedade ocidental e através da arte demonstrava as histórias bíblicas, doutrinas e atividades. Sua arquitetura tinha linha vertical – rumo a Deus e horizontal – seu semelhante, sem distinção social. Havia o nível amador e o profissional.
Na Renascença as atenções dos artistas foram para povo. A música falava tanto das coisas espirituais como do cotidiano.

quarta-feira, 22 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 655 - PASSOS PARA NOS TORNARMOS BEM-SUCEDIDOS (2)


MÚSICA 1 - A MÚSICA INSTRUMENTAL NO LOUVOR

A música instrumental no louvor: Uma abordagem bíblica/histórica

Pretendo colocar diante de vocês as bases principais de por que eu acredito que a música instrumental não deva ser utilizada no louvor da igreja. O argumento que eu apresento aqui vem da minha própria leitura da Bíblia, especialmente do Velho Testamento. Aprendi dos outros, é claro, mas o argumento veio a mim principalmente através da minha própria leitura das Escrituras; e acho que algumas palavras de como cheguei nele sejam devidas.

Meu passado em relação à música no louvor
Cresci entre e sempre tinha as minhas associações religiosas com cristãos que não utilizavam instrumentos mecânicos no louvor. Não posso falar por cada indivíduo, porém como uma comunidade, estes cristãos acreditavam que a música instrumental no louvor era errada. Não por uma questão de conveniência nem de preferência pessoal, mas como uma questão de princípio e convicção, eles contestaram a utilização da música instrumental no louvor.
Então, eu mais ou menos herdei esta posição. Ficava emocionado com as histórias de pessoas de fé examinando as Escrituras para voltar à ordem antiga. Ficava cativado pela idéia de restaurar o cristianismo apostólico. Pensava que os nossos antepassados já tinham, há muito tempo, estudado todos os assuntos que importavam e que tinham praticamente descoberto a verdade em todos eles. Há muito tempo, abandonei qualquer pensamento de que os meus colegas religiosos estavam certos em tudo. Não é isso que nos une. É um compromisso fundamental ao domínio de Cristo que nós compartilhamos. Uma atitude básica para com o Senhor Jesus é o que nos une.
Eu concordo inteiramente e aprecio o ponto de Robert Turner de que nunca se pode falar da restauração no passado. É um processo contínuo, sem fim. Nunca devemos considerar qualquer posição que tenhamos como se fosse uma vaca sagrada na qual não se pode tocar, ou que não está sujeita ao questionamento ou a examinação.
Direi, contudo, quando vem à questão da música, que o meu próprio estudo das Escrituras e a re-examinação me trouxe à convicção profundamente enraizada que os meus colegas que têm contrariado a música instrumental no louvor não chegaram à sua posição sem pensamento e estudo sério das Escrituras. Eles tinham motivos bons pela sua posição – razões que estavam totalmente baseadas na revelação que Deus fez de si mesmo e da sua vontade.

terça-feira, 21 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 654 - PARA MIM O VIVER É CRISTO (2)


ESTUDOS 133 - A MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES

A Multiplicação dos Pães

Jo 6: 1 -14

Introdução:
No Edifício da RCA, em Nova Iorque, há, do pintor Frank Brangwyn, três murais, representando os três grandes períodos da conquista do mundo pelo homem. O painel central apresenta uma pintura de uma grande multidão olhando para um monte e sobre ele uma figura de Cristo. Na interpretação o autor escreveu ao lado: "o último destino do homem não vai depender tanto de aprender novas lições ou fazer novos descobrimentos e novas conquistas, mas de aceitar a grande lição que lhe foi dada há dois mil anos."

Elucidação:
O texto lido é um dos mais conhecido dos feitos de Jesus, relata a multiplicação dos pães que Jesus fez para alimentar o povo que o seguia.
Muitas lições podemos tirar destes versos, quero destacar nesta noite 3 grandes lições:

sexta-feira, 17 de março de 2017

MENSAGEM EM VÍDEO 653 - ORAÇÃO UMA PRIORIDADE, UMA NECESSIDADE E UM PRIVILÉGIO (2)


REFLEXÃO 338 - A MULHER SAMARITANA, COCA-COLA E JESUS

A mulher samaritana, Coca-Cola e Jesus.



Às vezes, a gente ouve certas coisas que não aceita, mas não sabe bem o porquê. Só depois de algum tempo entende. Não foi por mera antipatia que aquela mensagem não desceu bem. Recordo-me quando ouvi pela primeira vez o paralelo entre Jesus e a Coca-Cola. O pregador, inflamado de zelo e paixão missionária, afirmava que numa viagem ao interior do Haiti, sob uma temperatura de mais de 40 graus, sentiu-se aliviado quando parou num quiosque miserável feito de palha de coqueiros e pôde comprar uma garrafa do mais famoso refrigerante do mundo. Devidamente refeito depois de beber sua Coca geladinha, perguntou ao dono da venda se já ouvira falar de Jesus. Ele não sabia de quem se tratava. E o nosso palestrante fez sua analogia, tentando dar um choque na complacência da igreja ocidental: “A Coca-Cola conseguiu alcançar o mundo inteiro em menos de um século e a igreja cristã ainda não cumpriu a ordem da Grande Comissão em mais de 20 séculos!”. Depois daquela primeira exortação, já devo ter escutado essa mesma comparação uma dúzia de vezes em diversas conferências missionárias. Verdade ou tolice? Pior. Estou certo que essas ilustrações não são meros simplismos, nascem de grandes erros teológicos (ou ideológicos?).

quinta-feira, 16 de março de 2017

MENSAGEM DE VÍDEO 652 - OS SONHOS DE DEUS NUNCA MORREM (2)


ARTIGOS TEOLÓGICOS 3 - A MULHER PASTORA

Mulher pastora

Filha legítima do triângulo amoroso entre Liberalismo teológico, feminismo e filosofia unissex



Desfazendo falácias

- Aqueles argumentos inverídicos que apresentam os que vêem na ordenação de mulheres um sério desvio da sã doutrina como:
1.    "São machistas" - terminologia indevida inventada pelos anti-bíblicos movimentos feminista e unissex para representar homens que fazem violência às mulheres, porém, o nome é impróprio, pois, machismo, significa algo próprio dos machos ou  relativo aos seres humanos do sexo masculino, e nisso não há nada de errado. Homens de mau caráter devem ser chamados de cruéis e injustos e não de machistas. Por conta desta distorção conceptual, muitos homem estão se efeminando, como medo até de serem identificados com as coisas próprias dos machos.

quarta-feira, 15 de março de 2017

MENSAGEM DE VÍDEO 651 - O CRENTE E O EGITO (2)


ESTUDOS 132 - A MULHER: ESPOSA E MÃE

Feitos à imagem de Deus 
A mulher: esposa e mãe

Efésios 5:22-24,33; Colossenses 3:18
§  Descreva a vontade de Deus quanto a submissão da mulher ao marido.
§  Estas instruções aplicam mesmo quando ela não concorda com o marido?
§  Se houver conflito entre a vontade do marido e os mandamentos de Deus, o que ela 
   deve fazer? 

1 Pedro 3:1-6
§  A mulher tem que se submeter ao marido não cristão?
§  Como a mulher cristã deve se adornar? 

Tito 2:3-5
§  Descreva a responsabilidade das mulheres idosas.
§  Como as esposas devem se comportar? 

Provérbios 31:10-31
§  Faça uma lista de (pelo menos) cinco características da mulher virtuosa. 

Romanos 12:1-8
§  Cada cristão deve se submeter à vontade de quem?
§  Como o orgulho e a arrogância impedem o serviço do discípulo de Cristo?
§  Como a auto-estima baixa impede, também, o nosso serviço?     

Dennis Allan.



Translate

NOTÍCIAS