TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

OS DEZ MANDAMENTOS 4 - O QUARTO MANDAMENTO

O QUARTO MANDAMENTO

Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou – Êxodo 20:8-11

A Bíblia diz que no principio a Terra toda estava envolta por uma escuridão impenetrável, água, ar, rochas e terra se agitavam num turbilhão caótico (Gn 1:1 e 2).
Neste primeiro capítulo do livro de Gênesis, encontramos a narração da criação. Podemos perceber que o processo da criação foi um movimento do caos, da desordem para ordem. Também podemos ver que em cada processo criativo de Deus encontramos uma interrupção no trabalho para um momento de contemplação do criador para com o que acabara de criar (Gn 1:4,10,12,18,21). Mas é no verso 31 que Deus contempla a obra finalizada, acabada, concluída.
Está claro que o descanso do Criador nada tem a ver com fadiga. É o descanso que vem quando a ordem toma o lugar do caos. É paz que aparece após a tormenta. Deus viu que a terra estava em repouso, tudo estava em ordem, em harmonia; e então descansou; isso não significa que Deus parou de trabalhar, de agir.
Dessa forma, num sentido profundo e significativo, o descanso no sétimo dia é um ato de adoração.
A palavra “sábado” significa, literalmente, “descanso”. Neste dia Deus descansou, isto é, ELE contemplou sua obra. Você já imaginou Deus cansado? Claro que Deus não estava cansado, mas descansado por ver tudo em ordem.
Somos convidados a descansar com ELE no sétimo dia. Convidados a parar no sétimo dia para adorá-LO e contemplar com ELE tudo o que ELE fez e faz por nós.
 O sábado é uma mensagem de fé: “Confiem em Mim. Aceitem que realmente tomei providencias perfeitas”.
Mas a grande controvérsia é se devemos guardar o sábado (o sétimo dia da semana) ou o domingo como o dia do Senhor?
Na Palavra de Deus, encontramos os cristãos reunidos em adoração a Deus no domingo e neste dia também tiravam ofertas ao Senhor. Contudo a palavra mais clara sobre a necessidade ou não de se guardar o sábado é dado pelo apóstolo Paulo a igreja de Colossos (Cl 2:16 e 17). Veja o que Paulo fala a respeito daqueles que pregam a guarda da lei em 1 Tm 4:1-4.
Paulo deixa muito claro que o sábado, como os demais dias de festas, era apenas sombra de algo que havia de vir. O mesmo serve para os alimentos.
Portanto ninguém podia exigir dos gentios que guardassem o sábado ou qualquer outra lei dada por Moisés. No primeiro concilio realizado pela igreja em Jerusalém (At 15:29) ficou bem claro que os gentios deveriam apenas se abster das cousas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas.
Devemos guardar um dia de descanso, o shabat, não necessariamente o sábado, mas um dia para contemplarmos nosso Senhor e Salvador.

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS