TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sexta-feira, 11 de julho de 2014

BIBLIOLOGIA 1 - A FORMAÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO

A FORMAÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO

I - Forma e peculiaridade da Literatura de Israel

O Antigo Testamento é integrante de nossa Bíblia cristã. Simplesmente não compreendemos muitas coisas, esbarramos diante de contradições, ou sejam, fatos que nós cristãos achamos estranhos.
Temos, por exemplo, dois relatos diferentes sobre a criação.

1º relato : - Seqüência das obras dos sete dias. ( 1º Cap. Até 1ª fase do cap. 2 vers. 4 )
2º relato : - Atividade criadora de Deus como a do oleiro que forma um vaso novo. (cap.2 - vers. 4)

Aqui foram coordenados dois relatos diferentes sobre a criação, originalmente separados. Originam-se de tempos e autores diferentes que, com respeito à criação, foram movidos por interesses bem diferentes.
No caso do Antigo Testamento, temos diante de nós um livro que cresceu paulatinamente, com resultado de uma longa história, onde se dá as seguintes situações ou características :

·         Testemunhos de fé de Israel em um só Deus;
·         Forma a palavra falada e transmitida oralmente, passadas pelos patriarcas e pelos profetas;
·         Forma literária de transmitir textos restantes do Antigo Testamento na forma atual como encontramos na Bíblia;
·         Partes mais antigas são freqüentemente cânticos ou ditos, como exemplo é a "canção da vitória" de Míriam em Êxodo 15.21
·          Forma de Provérbios folclóricos, como vive em toda parte do mundo e o falar em breves ditos na hora do lazer;
·         Forma de contos, ou "sagas" ( lendas ) que falam dos acontecimentos e vultos da história primitiva de Israel;
·         Uma historiografia regular existiu em Israel desde o tempo de Davi - que se dá sucessão no trono e divisão de Reino;
·         Sagas etiológicas ( do grego AITIA - causa ) Ex. Narração da queda dos primeiros homens quer explicar a origem das perturbações da vida humana;
·         As sagas etiológicas também querem explicar determinados nomes. Ex:- O nome de Isaque, em hebraico tem uma afinidade com a palavra "rir".

-          Além de ditos, cânticos e sagas foram transmitidas, desde os primórdios de Israel, também Leis de espécies diversas :

A)     Leis causuístas - Casos litigiosos - Comunidade judicial
B)     Direito Apodítico - Tem sua origem na esfera cultural
C)     Questões de culto isoladas - Uso pelo Sacerdote - Técnicas do sacrifício ou pureza
D)     Lei da santidade - Disposições rituais



II - O Pentateuco

Os "cinco livros de Moisés" denominados "Pentateuco", tratam primeiramente, da história da origem da humanidade, segue a história dos Patriarcas, que segue desde a saída do Egito até a introdução na Terra Prometida. Com este último tema, a exposição já passa para o livro de Josué. Por esta razão costuma-se resumir, freqüentemente os primeiros seis livros do Antigo Testamento, chamando-os de "hexateuco" .
Isso se expressa  em alguns textos que recitam esses acontecimentos em forma de uma confissão de fé, de um "credo" - destinado a forma instrutiva.
A aliança estabelecida entre Deus e o povo no Monte Sinai formou originalmente, o conteúdo de uma tradição especial.
A história dos Patriarcas já foi ligeiramente apontada no Antigo credo ( DT 26.5 ) ou até exposta mais amplamente ( Js. 24.2-4 ).
A história do princípio ( Gn 1 - 11 ) é apresentada como história do pecado progressivo :- queda do Homem à história dos patriarcas. Este autor é chamado o "Javista" que vem do nome hebraico "Javé" que traduzido é o "Senhor".
Os  "Eloístas" - que vem da palavra "Elohim" - significa "Deus" e também contribui para a narração do Pentateuco, e uma terceira contribuição é o "Escrito Sacerdotal", estes três escritos foram pouco mais tarde compiladas para uma única obra expositiva.




III - Deuteronômio

O quinto livro do Pentateuco, o Deuteronômio, contém inicialmente uma coleção de leis (Cap. 12-26 ) e enfim um trecho final sobre as últimas palavras e instruções de Moisés e sobre sua morte ( Cap. 27-34 ) .
A pregação da Lei do Deuteronômio mostra claramente uma determinada idéia diretriz qual seja: A adoração exclusiva de um só Deus.
Durante a reforma do templo no tempo do rei Josias foi encontrado um código de lei, onde foi realizada a idéia fundamental do Deuteronômia, que  só é permitido um único lugar de culto.
As narrações na primeira parte do livro de Josué relatou acontecimentos dentro da ocupação da Terra, que por sua vez está voltada toda a atenção para uma área limitada da terra que os israelitas ocuparam.
Após a história da ocupação da terra pelos israelitas segue a apresentação da "era dos juízes" que segue a história com a apresentação dos juízes maiores e os Juízes menores que eram detentores de um cargo permanente do "juíz de Israel".
Ainda durante os últimos anos de  Samuel começa a "era dos reis" com o governo de Saul até a sucessão de Davi.
O "tempo dos reis" começa na obra histografia deuteromística com a divisão do reino.

IV - Os profetas

Eram considerados profetas na tradução  judaíca.
-          Josué
-          Samuel ( livro dos juízes e livro de Samuel )
-          Jeremias ( Livro dos reis )
-          Livros proféticos ( profetas posteriores )
Os Livros proféticos abrangem um espaço de tempo de diversos séculos. O mais antigo entre os profetas históricos é Amós e o pouco mais recente é Oséias. Temos o Reino do Norte igual a Amós - Israel  - e no Reino do Sul - "Judá" - com o profeta Isaías e simultaneamente com ele também Miquéias.
A tarefa básica do profeta consiste em anunciar o agir de Deus através do qual realiza sua vontade contra toda e qualquer resistência. Esse agir de Deus pode significar salvação ou desgraça. Por isso a anunciação consiste em promissão ou ameaça.


V - A forma principal da profecia, portanto é a palavra

a)      Palavra de ameaça :- assinala a desgraça que há de vir. Muitas vezes manifesta-se nessas palavras o próprio Deus na forma da 1ª pessoa do singular e ainda em acompanhado do  enfático "EIS" no início da sentença.
b)      Palavra de repreensão :- Começa com cortante "ai". Outra forma é a dos profetas que falam breves sentenças exortativas da instrução sacerdotal na lei.
c)       Palavra de disputa :- O profeta apresenta aos ouvintes perguntas as quais a resposta se infere por si mesma. Ex.:- "Quem"? exerce uma função importante onde todas as perguntas o antagonista é obrigado a responder, necessariamente com a negação, "nínguém".

Diversas formas de apresentação de uma atuação porfética

·         Demonstração do poder de Deus e fortalecimento da fé do seu povo ( Ex. Isaías 41, 1-5; 21-29 )
·         Dirigir auxílio e salvação ( Isaías 41.10-14 )
·         Atender as suplicas e dar ajuda
·         Revelação de Deus aos homens
·         Anunciar-se por intermédio de uma imagem visionária (ou atos simbólicos) o que Deus fará em futuro eminente, ou na vida pessoal do ouvinte.

VI - Os Salmos

Os Salmos que o Antigo Testamento nos transmitiu, na verdade, representam apenas uma pequena parte de todos os salmos existentes no Antigo  Israel. Sua grande importância já se evidencia pelo fato que se encontram numeroso salmos também fora do "saltério" (Ex.:- I Sam2, II Sam. 22 ) bem como nos livros proféticos ( Is. 38.10-20; Jr.2 )
O Saltério , em sua forma atual, é o resultado de um crescimento paulatino. Nisso é comparável com nosso hinários, que também são o produto final de uma longa história do hino eclesiástico e sempre se  baseiam em hinários e coleções de cânticos mais antigos.
Os salmos revelam, todos eles, uma relação mais ou menos clara com o culto.
Os salmos podem ser classificados em diversos "gêneros" que apresentam características formais e têm seu lugar vivencial, como segue abaixo :-

a)      Hino :- Convite de louvar a Deus
Ex. Cantai ao Senhor ( 96.1 )
Rendei Graças ( 105.1 )
Aleluia ( Louvai a Javé )
Após o convite vem o convite para que Deus seja louvado - "Porque a sua misericórdia dura para sempre". 
O hino, porém, não apenas discorre sobre o que toca o mundo inteiro ou todo o povo, mas fala também do agir de Deus com o indivíduo.
O Hino tem seu lugar cultural nas reuniões festivas de toda congregação.
Nunca o salmo termina com a descrição do salvamento mas sempre é o de louvar a Deus por seus feitos.

Lamentações : O Salmista apresenta seu sofrimento a Deus. A tribulação a que se vê exposto é descrita como uma profunda perturbação da alma. Não são orações "individuais" mas se destinavam para o uso "litúrgico"


Introdução de um rei: Foram cantados salmos, por exemplo, durante os atos culturais. Outros salmos anunciam que Deus mesmo se tornou rei.


VII - Os escritos restantes

-          A sabedoria  de Salomão que excede a dos egípcios e sábios babilônios que através de seus Provérbios contém, antes de tudo, sabedoria de vida, com o objetivo de servir de orientação às gerações seguintes e proporcionar-lhes ensinamentos para a sua própria vida. Também alguns salmos fazem parte da "Literatura sapiencial" no Antigo Testamento.
1)      Livro do pregador - ( Eclesiastes )
-          tradição de sabedoria
-          fixou nos provérbios
-          mesmo destinado aos sábios e estultos
-          não desespera - tudo é vaidade

2)      Livro de Jó
-          tradição sapiencial - doutrinas tradicionais
-          posição dos amigos
-          Jó formula com severidade - "Deus destrói ambos" - o íntegro e o percurso
-          A solução - o encontro do próprio Deus com Jó
-          Rendendo-se totalmente a Deus - ele é "Justificado"

3)      Escrituras:- 5 livros menores -> Rute / Cantares / Eclesiastes / Lamentações e Ester
-          Ocasião das Festas da Semana ( colheita )
-          Páscoa Judaica ( Cantares )
-          Festa dos tabernáculos ( Eclesiastes )
-          Jejum ( Lamentações )
-          Festa do Purim ( Ester )

Quanto ao conteúdo dos cinco livros menores são de espécie muito diferente :

Eclesiastes :- Contradição com a tradução, sem poder separar-se dela.

Lamentações :- Coleção de 5 poemas independentes. Súplica confiante ao Deus que reina eternamente - Cap. 5

Rute :- Caráter literário - "novela"
Fidelidade de uma jovem esposa - descendência moabita depois da morte de seu marido, fica perto de sua sogra.

Cantares :- Cânticos de amor - inteiramente secular. Relação de Cristo e a Igreja ? Javé e Israel ? Explicação alegórica ...

Ester :- Dois judeus conseguem impedir uma perseguição planejada. Fato importante é que o nome de Deus não é mencionado em parte alguma.
OBS. O livro de Daniel foi escrito quando a coleção dos livros projéticos já estava encerrada.

Crônicas, Esdras e Neemias :- obra historiográfica coerente -> apresenta estória de Judá e de Jerusalém.



VIII - A significação do Antigo Testamento para a comunidade cristã

A história do Antigo Testamento se estende desde os primórdios de Israel, antes de estabelecer na Palestina, até além do tempo da comunidade judaica pós-exílica, nos últimos séculos antes do nascimento de Cristo.
Precisamos procurar entender o que significa a afirmação que o A.T se cumpriu em Jesus Cristo. Vemos então : através de :-

A)     Profecias:- vinda do Messias
Próprias escrituras velho-testamentária - o agir de Deus na história

Se perguntarmos qual o significado do Antigo Testamento para a comunidade cristã, levantamos com isso a pergunta pelo significado desta história, não só a história  do Antigo Testamento teve importância para nós como toda a história de Deus como Israel, e este significado não reside num caráter profético desta história, mas no fato que Deus se revela nela.
A conexão entre o Antigo Testamento e o Novo Testamento se revela na história de Israel até a vinda de Jesus Cristo, onde a comunidade cristã  está inserida nesta história de Deus da revelação.

  


 Artur Macedo Bueno
05/10/2000

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS