TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

REFLEXÃO 230 - A GRANDEZA DO CRISTÃO

A Grandeza do Cristão

"Qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo; assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos." (Mateus 20:26-28)
Manoel Bernardes afirmou: "Os grandes do mundo são escravos da sua grandeza". De fato, ser grande para tornar-se escravo de sua grandeza não é nenhuma virtude. O conceito de grandeza é algo intrínseco ao ser humano. O homem está comprometido desde que nasce a se tornar grande, a pensar grande. A criança é ensinada, condicionada a ser um grande homem, uma grande mulher, a conseguir grandes coisas, como poder, riquezas. Infelizmente o sucesso de um homem é medido por suas grandes conquistas e realizações. Quantas pessoas estão neste mundo vagando frustradas porque não conseguiram atingir o grau de grandeza que foi colocado diante delas. A serpente colocou na consciência de Adão e Eva o vislumbre de se tornarem deuses: "... e sereis como Deus". (Gen. 3:5).


O sentido de grandeza sempre irá despertar nos homens a concorrência e a competição. Ninguém deseja neste mundo ficar por baixo ou ser capacho dos outros. Para isso, as pessoas deixam de obedecer as leis, tornam-se antiéticas e imorais com o propósito exclusivo de subirem na vida e se tornarem grandes aos olhos dos outros.
Jesus tratou com muita propriedade o desejo humano da grandeza. Ele não censura este desejo nos discípulos, mas procura antes cultivar o desejo e canalizá-lo na direção certa. Ele disse: "quem quiser tornar-se grande entre vós, será o que vos sirva".
Cristo falou de uma verdade que o povo tem custado a aceitar, isto é que a verdadeira grandeza consiste em servir. Alguém escreveu: "a espécie da grandeza que Jesus tinha em mente é difícil de ser conseguida. Ser escravo é fazer coisas que os outros não querem fazer. Significa longas horas de trabalho, perda de prazeres e, quase sempre, críticas. Significa sacrifício próprio, mas da maneira que Deus quer. Jesus inverte o sentido de direção e põe o último em primeiro lugar, o pequeno antes do grande". Jesus não somente aponta o caminho mas sobretudo, anda no caminho, mostrando a nós como devemos servir. "Ora se eu, Senhor e Mestre vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu fiz, façais vós também". (João 13: 14,15).
O que existe por trás da grandeza do caráter de Cristo é a sua capacidade de humilhar-se. "A si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo". (Fil. 2:7,8).
A verdadeira grandeza do caráter cristão está em o homem ser esvaziado de todo o seu orgulho, sair do pedestal de glória, morrer para todas as vindicações do seu "eu" e aceitar que o único caminho que conduz aos páramos da glória celestial é o caminho que o próprio Cristo andou, o caminho da servidão. É preferível mil vezes ser servo de Cristo do que ter a liberdade sem Cristo e, no entanto, continuar escravo de si mesmo e do pecado. O propósito da vinda de Cristo se torna o nosso propósito de vida também como crentes e seus seguidores. No fim do seu ministério, Ele disse aos seus discípulos: "Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio". (João 20:21). É assim que Cristo expressa e imprime sua comissão aos discípulos. Significa que sua missão havia se tornado a missão dos discípulos.
Esta é a missão de todo o cristão: realizar a obra de Cristo. A obra de Cristo foi de servir e dar sua vida em resgate de muitos. Sabemos o que ele quis dizer sobre dar a sua vida, mas o que quis dizer Ele quando disse que veio "servir"? Ele atendeu a todas as necessidades dos homens: as físicas, as espirituais, os distúrbios da mente. Cristo vê o homem em toda a sua dimensão e participa ativamente em se dar ao homem todo, anulando todos os males que o pecado trouxera à vida humana.
O que motivou Cristo a atender todas as necessidades humanas era sua compaixão pelo povo que Ele via sofrendo. "Desembarcando Jesus viu uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou seus enfermos". (Mat. 14:14).
A grandeza de Cristo é perceptível justamente naquelas pequenas e insignificantes coisas que os homens nunca conseguem ver por causa da sua importância pessoal. A importância humana descaracteriza e cega os homens para não verem as necessidades dos necessitados. Somente através de Cristo é que o homem perde toda a sua importância e começa a se importar com os outros, não há outra maneira. Era importante Cristo se dar aos homens e servi-los para que a glória fosse do Pai. "Eu te glorifiquei na terra consumando a obra que me confiaste para fazer". (João 17:4).
Não existe serviço maior para o cristão do que este: buscar sempre a glória de Deus. O serviço competente é aquele onde Deus é glorificado. O que se observa hoje numa parte dos cristãos é que se busca mais a glória do homem. O homem passa a ser importante, e Deus é colocado apenas como um mero "empregadinho".
Sem a proeminência de Cristo, todos nós estaremos fadados aos desespero de uma vida cheia de angústias e decepções, como a mãe dos filhos de Zebedeu. Ela podia Ter ido muito bem para casa sem Ter ouvido de Jesus: "o assentar-se a minha direita ou a minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado" (Mat. 20:23).
Senhor, faça com que eu não esteja ansioso em assentar-me à tua direita ou à tua esquerda, mas que eu possa, através de Cristo, servir aqueles que estão à minha direita e à minha esquerda. Dá-me, Senhor, a tua grandeza, não a grandeza de ser grande diante dos homens, mas sim aquela grandeza de ser grande no Teu Reino. Amém.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS