TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

terça-feira, 18 de novembro de 2014

MENSAGEM 5 - ALÉM DE MIM MESMO: A ORAÇÃO DO DISCÍPULO 4ª Parte: Venha o Teu Reino

ALÉM DE MIM MESMO: A ORAÇÃO DO DISCÍPULO
4ª Parte: Venha o Teu Reino - MT 6.9-13

Introdução: “Venha o teu reino” (v.10) deve ser nossa petição de todos os dias, assim como “faça-se a tua vontade”. A busca pelo Reino de Deus e pela vontade de Deus nos levará a realizarmos a petição anterior “santificado seja teu nome”.  Não podemos nos esquecer que a “santificação” do nome de Deus é o alvo de nossa existência; e que quando santificamos o nome de Deus acabamos promovendo a salvação daqueles que estão em perdidos.
Hoje vamos nos concentrar no pedido direcionado ao Pai: “venha o teu reino”.

1)      Existe um anseio pelo estabelecimento do Reino de Deus
Primeiro gostaria de dizer o que é obvio! Jesus, ao nos ensinar a pedir pela vinda do Reino de Deus, manifesta o desejo de que o Reino de Deus seja estabelecido na terra.
Isso significa que não devemos orar pelo estabelecimento do nosso reino, mas pelo estabelecimento do Reino de Deus. Contudo nossas orações quase sempre são mais direcionadas ao estabelecimento do nosso reino, dos nossos desejos e anseios.
Ilustração: História contada pelo pastor Ariovaldo Ramos do fazendeiro.
Precisamos mudar urgentemente esta nossa postura, pois ela não manifesta a verdade contida nos ensinos de Jesus aos seus discípulos. Somos chamados para morrer, isto é, renunciar a nós mesmos em prol do Reino de Deus e de Sua vontade.   
Diante desta verdade somos levados a seguinte pergunta:


2)      O que é o Reino de Deus?
O apóstolo Paulo diz que “o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Romanos 14:17). O contexto destas palavras de Paulo está amarrado a uma exortação aplicada aos irmãos de Roma que discutiam por questões de comida e bebida. Era licito comer isto ou aquilo? Imagine se nós começássemos a discutir se podemos comer feijoada? Acarajé da Bahia? A discussão também acontecia por causa das bebidas? Era licito beber vinho? Seria licito hoje bebermos vinho ou cerveja?
A resposta de Paulo a tudo isso, se resume nisso “o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo”.  O Reino de Deus ultrapassa os nossos limites humanos e terrenos, é muito superior a tudo isso, é muito grande para se prender a coisas temporais como essa. O Reino de Deus se estabelece a partir da essência do “ser” e não do “ter”, por isso, é justiça, paz e alegria no Espírito Santo; pois estas coisas provêm da fonte da vida, que é o próprio Deus. Deus é justiça, Deus é paz, Deus é alegria... Ele é a fonte de tudo que é puro, verdadeiro, justo e santo.
Infelizmente, a realidade evangélica atual é oposta ao ensino de Jesus nessa oração. Muitas igrejas tornaram-se impérios terrenos, reinos de homens, torres em construção que almejam tocar os céus. Seus líderes trabalham para edificar seu próprio reino e estabelecerem sua dinastia. Mas o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores irá destrona-los no tempo certo e estes serão lançados ao castigo eterno, pois usaram do nome de Deus em vão, para se enriquecerem e construírem seu próprio reino.
Essa verdade de que o Reino de Deus não é comida, nem bebida e sim justiça, paz e alegria me leva a outra pergunta:




3)      Como podemos implantar o Reino de Deus?
Se o Reino de Deus fosse comida, bebida, castelos, casas, carros e tudo que é palpável, físico, com certeza seria mais fácil implantá-lo, afinal de contas isto é o que todos os homens estão tentando construir dia após dia.
Contudo nós os filhos de Deus não estamos em busca, ou pelo menos, não deveríamos viver em busca de construir impérios nesse mundo, que jaz no maligno, e por isso, Deus declara que o mundo é seu inimigo. Não podemos ter nossos desejos ligados as ambições terrenas e a busca das vaidades de nosso tempo.
Venha o teu Reino é a expressão daqueles que tem o coração comprometido com os princípios de seu Rei e Deus. Esta é a oração daqueles que estão dispostos a deixar que Jesus reine a partir de suas vidas. Ninguém pode dizer “venha o teu Reino” sem estar disposto a se colocar como súdito do Rei.
Eu e você precisamos ter a consciência que nossa pátria não é aqui, mas que enquanto aqui estivermos devemos implantar o Reino de Deus, isto é, seus valores e princípios nos corações de todos os homens.
O primeiro passo para que o Reino de Deus seja implantado na terra começa a partir de mim mesmo. Eu preciso me render ao Rei Jesus e ao Seu Evangelho. Isso acontece quando creio no sacrifício de Jesus e me entrego pela fé ao Seu Senhorio.  Na rendição de minha vida a mensagem do Evangelho, eu permito que o Reino de Deus se estenda em mim e a partir de mim.
Se render ao Evangelho de Cristo, é aceitar o sacrifício que Cristo fez na Cruz por mim pecador, é aceitar o amor de Deus por mim e não viver tentando conquistar o amor de Deus.
O segundo passo é vivermos priorizando o Reino de Deus. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). – Quando busco priorizar o Reino de Deus e sua justiça, isto é, quando eu vivo, em todas minhas relações, com a intenção de “santificar o nome de Deus” eu colaboro para a implantação do Reino de Deus.
O Reino de Deus é implantado quando nossa agenda diária prioriza o Evangelho de Cristo. Uma agenda que prioriza o Reino de Deus procura tratar seu cônjuge conforme a Palavra de Deus ensina, busca honrar os pais, procura ensinar com amor seus filhos, testemunha quem é Jesus Cristo a outros por meio de palavras e ações, perdoa aqueles que o ofenderam, presta socorro aos necessitados... Quando vivemos intencionalmente com o fim de cumprirmos essa agenda somos reconhecidos como súditos do Rei Jesus ou discípulos de Cristo.
O terceiro passo é levarmos o Reino de Deus a todas as dimensões e esferas que nossa vida possa abranger. Deus governa todo o Universo e governa também minha vida; o governo de Deus em mim implica em me levar a impactar o mundo através do Evangelho, a fazer de mim um agente do Seu Reino, quando vidas são libertas, famílias restauradas, enfermos são curados, pecadores transformados em santos, o Reino de Deus está sendo implantado. Quando oramos: “venha o Teu reino”, estamos orando pelo sucesso do evangelho, em sua amplitude e poder, é uma oração missionária, e também indica que estamos esperando e apressando a vinda do dia de Deus (2 Pe. 3:12; Mt. 24:14).
Deus não quer um trono político, mas um trono no coração de cada ser humano. Eu e você somos os agentes de Deus para que o mesmo possa ser entronizado nos corações de nossos amigos e familiares.

            Conclusão: O desafio nessa oração é que ao fazê-la estamos nos oferecendo como agentes para implantação do Reino de Deus. Não podemos orar “venha o teu Reino” se não desejamos nos submeter ao Rei Jesus. Não podemos dizer “venha o teu reino” se primeiramente eu não estiver disposto a me render a este reino e a seus valores, seu eu não estiver disposto a me tornar um súdito do reino. Portanto o desafio foi lançado por Jesus, através desta oração: Você está pronto para ser um súdito de Jesus? Você esta disposto a assumir hoje um compromisso com a verdade, justiça, alegria e todos os outros valores do Reino de Deus? Você esta disposto a ser um agente do Reino de Deus?

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

15/07/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS