TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

IGREJA 2 - A IGREJA E A EVANGELIZAÇÃO

A IGREJA E A EVANGELIZAÇÃO

Quando a igreja proclama o Reino de Deus, ela está obedecendo ao mandado de Jesus, que ao falar aos onze discípulos na Galiléia, disse: “...É me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, ensinai as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; Ensinado-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. (assim seja feito)” (Mat. 28:16-20). Proclamar o evangelho é manter-se ao alcance da promessa de Cristo, de estar com a igreja até a consumação dos séculos. O livro de Atos dos Apóstolos, registra o último encontro de Jesus com os onze. Nesta oportunidade, Jesus recomendou-lhes, que permanecessem em Jerusalém, à espera do Consolador que Ele haveria de enviar da parte do Pai. “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra (Atos 1:8). Em seguida Jesus sobe para os céus na presença de seus discípulos deixando esta recomendação mais uma vez, de que a igreja deve primar pela proclamação do evangelho. A proclamação virá sempre em primeiro lugar, se antecedendo a adoração na ordem dos fatores da missão da igreja. Somente pessoas convertidas, regeneradas e restauradas pelo sangue de Cristo poderão adentrar no Santo dos Santos e adorar a Deus em espírito e em verdade. Jesus mencionou mais a proclamação do evangelho do que a própria adoração, praticamente a adoração como ensino de Jesus tem poucos registros.


No encontro com a mulher samaritana Jesus foi abordado por ela sobre a questão da adoração. “...Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar”. (João 4:20). Tendo Jesus se manifestado sobre o assunto, dizendo: “...a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém se deve adorar. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade (João 4:21-24). É interessante notar que em seguida a mulher samaritana faz uma confissão de fé, dizendo que acredita que quando o Messias vier Ele anunciaria tudo. E, Jesus faz pela primeira vez a grande confissão de seu ministério. A mulher crê pela fé que o Messias anunciará tudo. E, Jesus, o Messias, diz: Eu sou, eu que falo contigo” (João 4:25-26).
É importante mencionar que em Mateus 28, Jesus disse ter todo o poder no céu e na terra, motivo pelo qual  outorgava-lhe o direito de enviar os discípulos por todo o mundo para proclamar o evangelho ensinando-o a todas as nações. Já em Atos, Jesus afirma que os discípulos receberiam a virtude ao descer sobre eles o Espírito Santo. Em algumas traduções diz que os discípulos receberiam “o poder ao descer sobre vós o Espírito Santo”. Fica bem claro que antes do pentecoste o poder estava tão somente sobre Jesus. Agora, não.  Agora o poder para proclamar o evangelho já está sobre a sua igreja. “Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós” (Mat 10:19). 

Ministério da Evangelização

Evangelizar é obedecer a grande comissão de Mateus 28:18. A igreja deve ter a evangelização como algo prioritário. Deve ser a grande meta e objetivo da igreja, evangelizar a tempo e a fora de tempo (II Tim. 4:2). É necessário portanto que todo o corpo de Cristo abrace esse ideal que é apresentar a salvação a um mundo sem Deus e sem salvação. Em Mateus 9:35-38, está relatado que Jesus depois de percorrer cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas dos judeus, pregando e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo, vendo a multidão, teve grande compaixão, porque andavam desgarrados e errantes, como ovelhas que não tem pastor. A pergunta que fazemos é esta: mudou muita coisa de lá para cá? Não são em nossos dias as mesmas multidões? Claro que sim e agora muito maiores. “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4), concluiu Jesus.

Serviço de Evangelização Dominical

Este serviço pode ser feito de diversas maneiras: Cultos ao ar-livre em locais previamente marcados. Visitando hospitais, presídios, pessoas interessadas ao evangelho. Distribuindo folhetos e convidando pessoas.

Serviço de divulgação

Esta tarefa consiste em divulgar à comunidade os trabalhos e eventos da igreja, através de faixas, cartazes, folhetos, convites etc.

Serviço de Expansão

A igreja deve estar preocupada com a sua expansão, criando espaços para novas frentes evangelísticas e missionárias. Enviando e sustentando obreiros de modo que o Reino de Deus se propague em todos os cantos e recantos.

Serviço de Integração

A igreja deve estar totalmente integrada tanto interiormente como exteriormente. Diria que interiormente todos os departamentos da igreja devem gozar de santa comunhão. Perfeitamente integrados como membros do corpo de Cristo. Exteriormente deve ter atuação ímpar de modo que seja a luz do mundo e o sal da terra como Jesus se referiu. Devemos manter boas relações com a comunidade onde estamos inseridos, com as autoridades constituídas e com as demais denominações que nos cercam. O que não devemos fazer é participar do mundo, mas devemos nos identificar com o mundo. É tendo empatia com o mundo que vamos saber das suas dificuldades, dos seus problemas, das suas dores, dos seus anseios e das suas angústias. É diante do mundo que a igreja terá a oportunidade de testemunhar de Cristo de tal modo que o mundo veja em cada crente um discípulo autêntico. E o que é o discípulo? Discípulo é aquele que se parece com o seu mestre. Assim, cada crente deve se parecer com Jesus.

Escola de Treinamento e Missões

Deve ser dado ênfase ao treinamento de pessoas vocacionadas para o ministério missionário, oferecendo-lhes condições favoráveis para o seu devido preparo. A igreja deve encaminhar os seus candidatos as faculdades teológicas para melhor se prepararem para o exercício do ministério de missões, principalmente transculturais. Devemos ajudar em oração e financeiramente. Uma vez completado o curso teológico, o novo bacharel estará pronto para ser enviado ao campo missionário. 

UNIÃO

A união ou comunhão na igreja é primordial, pelo que Jesus rogou ao Pai, dizendo: “... Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim e que os tens amado a eles como me tens amado a mim (João 17:21-23). Este é o grande ensino de Jesus acerca da comunhão e esta deve ser a grande meta da igreja de Jesus. Só há uma maneira do mundo crer que Deus enviou Jesus, se formos um com Ele, assim como Ele é um com o Pai. Só há uma maneira do mundo conhecer que Deus enviou a Jesus, se Jesus estiver em nós, assim como o Pai está em Jesus, se formos perfeitos em unidade, assim como Jesus é perfeito em unidade com o Pai.

Augusto Bello de Souza Filho

Bacharel em Teologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS