TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

REFLEXÃO 256 - A IGREJA EVANGÉLICO BRASILEIRA E OS SEUS CAMINHOS


É absolutamente perceptível o progresso e crescimento da igreja evangélica brasileira nos últimos anos. Em sua curta história, ela nunca experimentou tanto do mover de Deus em seus templos e comunidades como agora. Milhares de pessoas a cada ano, tem se encontrado com o Senhor da vida e experimentado do poder daquele que transforma e muda a existência de todos quanto o buscam. Louvado seja o nome do Senhor por isso!
Infelizmente nem tudo é um grande mar de rosas, até porque, com a mesma velocidade com que cresce, a igreja evangélica brasileira comete desatinos dos mais estapafúrdios contrariando muitas vezes princípios elementares da fé cristã.


Boa parte das mensagens pregadas nos púlpitos nos aponta o quão patológico está o evangelicalismo brasileiro. O seu conteúdo é raso, sem substância. Se não bastasse isso, o evangelho pregado é um evangelho totalmente diferente daquilo que os evangelhos nos ensinam e testificam. Uma graça barata e sem compromisso com Deus e com a comunidade da fé é proclamada. Em nome do "gospel", Cantores evangélicos ganham milhares de reais mercadejando a palavra da verdade. Assusta-me o fato de que tais cantores, cobram uma verdadeira fortuna pra "ministrar" nas igrejas aquilo que pensam ser louvor. Confesso a todos que tal fato segundo o meu ponto de vista é absolutamente revoltante! Tem gente, cobrando 2, 3 até 10 mil Reais por "ministração"! Ora, isso é uma verdadeira aberração! Em um país de gente miserável e pobre, a igreja em vez de saciar a fome daqueles que anseiam por justiça e comida, comercializa a fé! Pra piorar a coisa, já existem pastores cobrando pra pregar o Evangelho da Salvação eterna. Que Evangelho é esse? Ora, esse não é o evangelho da Bíblia e sim o evangelho que alguns dos evangélicos fabricaram! Acredito que boa parte dos culpados desta "imoralidade mercantilista" sejam os pastores que pagam a estes cantores fábulas em dinheiro no propósito de verem sua igreja cheia.
A Igreja deixou de ser a comunidade da palavra para ser a comunidade do oba-oba! Triste não? Sem dúvida o quadro em questão nos leva a seguinte indagação: Pra onde a igreja está indo? Será que ela não está caminhando a largos passos a uma nova "constatinização"? Será que em algum lugar de sua caminhada a igreja perdeu o salutar hábito de tudo fazer para a glória de Deus?
Ah! que saudade! da boa música, ministrada, cantada, com unção, cujo interesse era simplesmente engrandecer o nome de Deus! Parece que nos últimos anos, a igreja se perdeu no caminho em direção ao trono de Deus. Isto porque, as letras de algumas das suas composições , são empobrecidas teologicamente, simplistas e sem óleo. Falta oração, busca de Deus, consagração e compromisso com a Palavra. Se não bastasse isso, os meios de comunicação evangélicos tornaram-se amplamente manipuladores do povo de Deus imprimindo na mente de gente simples valores que com certeza não são valores do reino.
Confesso que às vezes prefiro não ouvir rádio evangélica. Não estou de forma nenhuma desfazendo deste veículo de comunicação. Sei da importância dos meios de comunicação em massa e louvo a Deus por termos alguns destes em nossas mãos, entretanto, prefiro ouvir bons cds de gente que com certeza está compromissada com evangelho do que dedicar o meu precioso tempo a programações que manipulam a fé do povo de Deus. Vocês já se deram conta de que em época de eleição, aparece muitos que usam o nome de Deus para atingir uma posição política na Câmera de vereadores ou congresso nacional? Não tenho nada contra aquele que tenha vocação política. Entretanto, sou absolutamente contrário a aqueles que usam o nome de Deus no intuito de projeção própria! Ora, se tem vocação política, vá no nome da cidadania e não no nome de Deus. Até porque, se o político exercer cidadania com ética e integridade moral, o nome de Deus será glorificado. Contudo, se usa o nome de Deus fazendo apologia a eleição e não se é ético nas relações, o nome de Deus é vituperado.
A situação anda tão deprimente que já existe fã-clube de artista gospel. Sei ainda de algumas histórias de cantores que precisam de segurança pra andar em lugares públicos. Ora irmãos, que evangelho é este? Será que a igreja não perdeu a visão da diakonia, do serviço mútuo?
Há! que saudade do tempo em que se cantava e entoava cânticos por missão! Reflitamos irmãos com sinceridade, será que a igreja evangélica está preocupada com a glória de Deus? Nos cultos percebemos chavões do tipo - Tudo para sua glória! - A ele o Louvor, e outros tantos mais, no entanto sou impelido a fazer o seguinte questionamento: Será que se Jesus entrasse em nossos templos hoje, ele agiria diferente do que agiu quando entrou no templo de Jerusalém?
"E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados; tendo feito um azorrague de cordas, expulsou a todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas, e disse aos que vendiam as pombas: tirai daqui estas coisas, não façais da casa de meu Pai casa de negócio." Jô 2:14-16
No texto em questão a Bíblia nos mostra um Jesus indignado. Isto porque, os valores da casa de Deus estavam absolutamente deteriorados. Vendia-se tudo que se era possível para o sacrifício, na verdade eles estavam muito mais preocupados com o lucro do que com o sacrifício em si. Repare que Jesus repreendeu os que vendiam as pombas (vs 16), isto se deve ao fato das pombas ser geralmente oferecidas como sacrifício pelos mais pobres. Jesus aqui combate também a espoliação dos menos favorecidos pela sociedade. Sim, combate o enriquecimento de alguns em detrimento da religiosidade de outros. O Interessante é que ele joga o dinheiro no chão. Isto nos leva a entender de que o lugar que dinheiro deve estar é bem longe da cabeça e do coração. Dinheiro tem que estar no chão! Debaixo dos nossos pés, submetido inteiramente a Deus.
A meu desejo é que o Senhor nosso Deus nos reconduza a sala do trono e que lá possamos adora-lo integralmente entendendo assim, que a Glória, o louvor, a soberania pertence exclusivamente a Ele. Lembremo-nos portanto irmãos, que o senhor mesmo afirmou que a sua casa seria chamada casa de Oração.
Renato Vargens


Pr. Renato Vargens
É casado com Ana Cristina e pai de João Pedro e Luiz Filipe.
escritor, conferencista e pastor da igreja Cristã Apostólica de Pendotiba - Niterói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS