TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

ÉTICA 2 - MOTIVAÇÕES PARA VIVERMOS A ÉTICA CRISTÃ

MOTIVAÇÕES PARA VIVERMOS A ÉTICA CRISTÃ

Cl 3


Vivemos num mundo onde imoralidade é sinônimo de moralidade, onde mentiroso é sinônimo de sábio, onde malandro é sinônimo de esperteza, ser virgem é sinônimo de bobo. Afinal que mundo é este em que vivemos, onde tudo esta virado de cabeça para baixo, onde a ética é justamente a falta de ética.
A verdade é que vivemos num mundo comandado pelo maligno e por isto o mundo no qual vivemos se encontra desta forma. Deus nos salvou deste mundo, mas não nos tirou do mundo. Deus nos deu uma nova vida, uma nova ética de vida diferente dos padrões do mundo e que deve ser vivida hoje, já neste mundo e por isso vivemos na contramão deste mundo. Diante este mundo perverso quais são as motivações para vivermos dentro da ética cristã? MOTIVAÇÕES PARA VIVERMOS A ÉTICA CRISTÃ

1º) Somos chamados para sermos imitadores de Cristo
Fl 2:5-8 "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,// pois Ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;// antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,// a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz."
O apóstolo Paulo ao escrever esta carta para a  igreja em Filipos ele pede aos irmãos que tivessem o mesmo sentimento do nosso Senhor Jesus Cristo. Paulo esta motivando os irmãos a serem imitadores de Cristo.
É verdade que Paulo não apresenta a vida terrena de Jesus como um padrão de excelência moral, isto é, Paulo não está dizendo que porque Jesus nasceu pobre, porque Jesus viveu na pobreza é que Ele é um padrão moral; como o ser pobre signifique moralidade.
Cristo é, contudo, para ser imitado em seu amor auto-anulador, Jesus deixou de lado o Ser igual a Deus, se fez homem como você, sofreu as mesmas dificuldades que você tem sofrido, passou fome, teve sede, viveu conflitos internos, psicológicos como qualquer ser humano vive, foi obediente ao Pai em tudo, e está obediência o levou a morrer por pecados que não eram Dele, mas seus. E Jesus morreu para que você pudesse ter a vida eterna. É neste sentido que você deve imitar a Cristo, em dar-se a si mesmo, deixar de viver para você e começar a viver para os outros. Mesmo que isso te leve a uma vida de sofrimento e morte. Você deve viver de modo que as outras pessoas possam através da sua vida experimentar do amor de Deus.
O apóstolo Paulo ao escrever sua primeira carta a Igreja de Corinto no cap. 11:1 ele diz o seguinte: "Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo".
Agora Paulo chama as pessoas a imita-lo, porque Ele estava imitando a Cristo.
Paulo "foi circuncidado ao oitavo dia, era da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus, quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto a justiça que há na lei, irrepreensível" (Fl 3:5-6). Por tudo isso Paulo podia esperar alguns lucros como: prestígio e influência no sinédrio, transito livre nas altas esferas do Judaísmo, amizade com altas autoridades, possessões, fama, riquezas, em fim uma carreira brilhante. Tudo isso era um grande lucro, até o dia em que ouviu Jesus falar: "Saulo, Saulo, por que me persegues?"
A maravilhosa experiência de Damasco mudou valores, conceitos, perspectivas, expectativas de Paulo e trouxe a Paulo uma nova motivação de vida. Paulo agora desejava ser um imitador de Cristo. Paulo seguiu os passos de Jesus, deixou de viver para si mesmo e passou a viver para os outros. Paulo não buscava seus próprios fins pessoais, e, sim o bem-estar daqueles a quem administrava. Deixou que Cristo vivesse sua vida ao ponto de dizer "logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim;..." (Gl 2:20).
Tenha a vida de Jesus Cristo como uma motivação para você. Seja um imitador de Jesus Cristo.
A segunda motivação para vivermos a ética cristã é que:

2º) Somos habitação do Espírito Santo
1 Co 6:19-20 "Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?// Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo."
O apóstolo Paulo faz uma pergunta de uma forma irônica aos irmãos de Corintos, porque eles sabiam que seus corpos pertenciam a Deus, e que eles tinham sidos comprados por Deus, por meio do sangue de Jesus, contudo estavam vivendo uma vida de frouxidão moral, usando seus corpos para prostituição.
Os irmãos de Corintos sabendo que seus corpos são morada, habitação do Espírito Santo deveriam viver nos princípios morais da ética cristã. Esta verdade é valida para nós hoje.
Por que você é habitação do Espírito Santo você deve se sentir motivado(a) a viver dentro dos princípios morais da ética cristã.
Rm 6:17,22 "Mas graças a Deus porque, outrora escravos do pecado, contudo viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues,... Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação, e por fim a vida eterna;"
Antes nós éramos escravos do pecado, vivíamos dominados pelo pecado, mas agora fomos transformados em servos de Deus e deixamos de ser escravos do pecado. Paulo está nos ensinando nesta carta que nós podemos vencer o pecado porque estamos vivendo na graça; e não debaixo da lei, e porque estamos vivendo na graça podemos cumprir a lei de Deus; pois ele nos fez habitação do seu Espírito, e, é o Espírito Santo que nos capacita a cumprir a lei de Deus.
Ser habitação do Espírito Santo significa que você tem dentro de você um poder capaz de levar você a viver uma nova vida; que faz você começar a manifestar novos frutos de vida que são os "frutos do Espírito". É evidente que estes frutos não se manifestam espontaneamente, só porque você aceitou a Jesus como Senhor, mas é necessário uma vida de renuncia do velho homem, porque a carne milita contra o espírito.
Gl 5:24-25 "E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito."
 Viver no Espírito é viver pela fé, é você viver crendo que você já morreu com Cristo para o pecado e ressuscitou com Ele para uma nova vida; andar no Espírito é você viver na prática a lei moral de Deus, é você evidenciar na sua vida os frutos do espírito, é você viver perdoando aqueles que te ofendem, é você viver servindo o teu próximo.
Saber que o Espírito Santo de Deus habita em você é uma grande motivação para viver a ética cristã.
A terceira motivação para vivermos a ética cristã é:

3º) O amor
Jo 15:12 "O meu mandamento é este, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei."
A mais importante motivação para vivermos a ética cristã é o amor. O amor é a lei de Cristo. "Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo" (Gl 6:2) esta foi a palavra que Paulo deu ao irmãos que viviam na região da Galácia.
 É vivendo o amor que cumprimos a lei de Cristo. Isto quer dizer que toda conduta ética pode estar contida no principio do amor. O amor cumpre as exigências da lei. O Espírito Santo é o Espírito de amor, o fruto do Espírito não é nada mais que um comentário sobre o primeiro fruto, mostrando como o amor atua (Gl 5:22, 23).
1 Co 13:1-8 "Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.// Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência, ainda que eu tenha tamanha fé ao ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei.// E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres, e, ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.// O amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece,// não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal,// não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;// tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.// O amor jamais acaba;..."
Este amor descrito nestas linhas que acabamos de ler é o amor verdadeiro, é o amor que nos leva a vivermos de forma altruística, nos leva a vivermos para o nosso semelhante, onde nossos desejos, sonhos, vontades estão sempre voltados para o nosso próximo. Este amor é pratico e não apenas um sentimento.
É no amor que encontramos razão para nos abstermos de alimentos que a nossa fé permite comer ou de procedimentos que a nossa fé permite realizarmos; contudo nos abstemos, em amor, por causa de alguns que são fracos na fé.
É óbvio que tal abstinência seja recomendada apenas em casos onde o irmão mais fraco seja de fato levado a pecar; de outro modo, todo o padrão de conduta, em tais questões seria decretado pelo rigorismo do irmão mais fraco.
O principio básico esta claro: a liberdade pessoal tem que ser temperada pelo amor aos irmãos. Está claro que tal amor não é uma emoção, mas a consideração cristã em ação.
 O amor é derramado em nossos corações, e é o amor por Cristo que nos motiva a vivermos dentro da ética cristã.

Conclusão: Diante todas essas motivações eu os desafio a viverem a ética cristã; a viverem a nova vida que vos foi dada por Deus. A serem imitadores de Cristo, vivendo o amor auto-anulador, lembrando-se que você é a casa, habitação do Espírito Santo e por isso viva no Espírito e ande no Espírito. Faça do amor ao próximo o seu principio de vida. Que Deus os abençoe. 

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS