TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

terça-feira, 29 de novembro de 2011

APOCALIPSE 6 - APOCALIPSE

APOCALIPSE
(Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira)

ESTUDO SOBRE O LIVRO DO APOCALIPSE
  • Autoria: Apóstolo João, filho de Zebedeu (Apc 1:4,9; 22:8).
  • Data: Aproximadamente 90 A.D. Escrito num período em que os cristãos estavam sendo ameaçados por Roma, sem dúvida sob a pressão para renunciarem a sua fé e aceitarem o culto ao imperador. Neste período Domiciano era o imperador que perseguia os cristãos com crueldade.


CAPÍTULO 1
  • v.1 – “Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as cousas que em breve devem acontecer, e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João”. – Temos aqui que o livro foi escrito com o propósito de revelar a nós coisas que ainda deve acontecer, revelação essa dada diretamente por Jesus Cristo ou através do seu anjo. Por ser um livro de revelação – este recebeu este nome – Apocalipse que significa “revelação”.
  • v.10 – João escreve a maneira como se encontrava ao receber a revelação – “... em espírito, ...”. Num estado de êxtase espiritual.
  • vv.12-18 – João tem uma visão de Jesus glorificado.
  • v. 20 – “... sete estrelas (...) são os sete anjos das sete igrejas, ...”. O verso também diz que os “... sete candeeiros são as sete igrejas”.

CAPÍTULO 2 e 3
  • Sete Igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodicéia.
  • As sete Igrejas destinatárias dos capítulos 2 e 3 eram igrejas reais da época de João. Representam, também, certos tipos de igreja em toda e qualquer época. Este conceito é apoiado pelo fato de que apenas sete foram escolhidas entre as centenas que já existiam e se desenvolviam ao tempo de João, e pela afirmação, ao final de cada carta, de que o Espírito estava falando às igrejas (vv.7, 11, etc.).
  • Cada carta dirigida às igrejas apresenta um galardão que será dado aos vencedores, isto é, aqueles que permanecerem firmes em sua fé (Apc 2:7,11,17, 26-28; 3:5,12,21).

CAPÍTULO 4
  • v. 1 – “... te mostrarei o que deve acontecer depois destas cousas”. Entende-se que depois de se cumprirem o período das sete igrejas. Para muitos cristãos nós vivemos o período da igreja de Laodicéia (a sétima igreja).
  • Entende-se que após o período da última igreja, teremos o ARREBATAMENTO, este é o fim do período da graça. Após o arrebatamento inica-se a TRIBULAÇÃO.

ARREBATAMENTO
  1.  O que é o arrebatamento?
* Arrebatamento é a remoção súbita de todos os santos da terra para o encontro com o Senhor Jesus nos ares. É também chamado de “rapto da Igreja”.
  1. Quando será o arrebatamento?
  • Jesus disse que “a respeito daquele dia e hora ninguém sabe...” (Mt 24:36).
  • Porém Ele nos deu sinais bem claros a respeito do tempo de Sua volta.

  1. Sinais da vinda de Cristo
  • A volta dos judeus no ano de 1948 a Israel (Is 66:8;Ez 36:24;37:21).
  • A parábola da figueira (Mt 24:32-35). O texto se refere ao renascimento de Israel, cumprido na data de 14 de Maio de 1948.
  • Dias de Noé (Mt 24:37-39). A corrupção do gênero humano era muito grande. A maldade do homem havia se multiplicado. A terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência (Gn 6:5, 11).
  • Dias de Ló (Lc 17:28-30). Os padrões morais de Sodoma eram muitos baixos. Os homens viviam em constante torpeza: homens com homens, mulheres com mulheres. Nem os anjos de Deus, enviados para tirar Ló e sua família da cidade, foram poupados do desejo perversos dos homens de Sodoma.
  • Tempos difíceis (2 Tm 3:1-5) – Paulo nos fala sobre os tempos difíceis dos últimos dias.
  • Multiplicação da ciência (Dn 12:4).
  • Ressurgimento do Império Romano (Dn 2:28-45) – No capítulo 2 de Daniel temos o sonho de Nabucodonosor, rei da Babilônia, quando os judeus estavam no cativeiro. O rei sonhou com uma grande estátua composta de vários metais. A estátua representa quatro grandes impérios mundiais: Babilônia, Medo-Persa, Grécia e por ultimo o Império Romano. As duas pernas da estátua representam a divisão do Império Romano em dois: o Ocidental que terminou em 476 d.C. e o Oriental que acabou em 1453 d.C. Os dedos dos pés são explicados no versículo 44 como dez reis (ou reinos) que existirão ao tempo em que Deus estabelecer o seu reino na segunda vinda de Cristo. O rei viu também uma pedra que foi cortada sem auxílio de mãos, a qual feriu a estátua nos pés. A pedra é Jesus. A interpretação foi dada por intermédio de Daniel, porque os demais sábios do reino não puderam fazê-lo. No capítulo 7 (Dn 7:4-28), Daniel sonhou com quatro animais: leão, urso, leopardo e um quarto animal terrível, espantoso, muito forte, com dentes de ferro. Os sonhos do rei e de Daniel têm a mesma interpretação. A diferença é que Nabucodonosor viu os reinos sob o ponto de vista do homem: uma imagem majestosa (símbolo de poder); ao passo que Daniel viu os mesmos impérios sob o ponto de vista de Deus: imperadores cruéis agindo como verdadeiros animais. O quarto animal (Roma) tinha dez chifres que representam uma confederação de dez nações, formando o último império mundial que será liderado pelo anticristo, a besta. O império Romano começou a ressurgir com o Tratado de Roma, no dia 25 de Março de 1957, mediante uma união de seis países europeus. Iniciou com o nome de Mercado Comum Europeu (MCE); depois teve o nome mudado para Comunidade Econômica Européia (CEE), e atualmente tem o nome de UNIÃO EUROPÉIA (UE) com 18 países. É desse império restaurado que se levantarão as dez nações (chifres); e do meio dessas nações se levantará o anticristo (Dn 7:23-24) que será o líder do ultimo império mundial mais cruel de todos os tempos. Antes deste império terrível que terá a duração de sete anos, a Igreja será tirada da Terra, e depois deste império virá o reino de Cristo que subsistirá para sempre.
  • Apostasia (2 Ts 2:1-3) – A apostasia está aí no mundo. O espírito do anticristo já está presente em nossos tempos, disfarçado de NOVA ERA, trazendo ao mundo e até mesmo as igrejas doutrinas demoníacas (1 Tm 4:1). A revelação do anticristo, o homem da iniqüidade, ocorrerá logo após a retirada da Igreja de Jesus com o afastamento do Espírito Santo que o detém (2 Ts 2:6-8).

  1. Quem será arrebatado?
  • Será arrebatado todo aquele que nasceu de novo, é nova criatura e anda na luz do Senhor (Jo 3:3; 2 Co 5:17; 1 Jo 1:7).

  1. Como será o arrebatamento?
  • Será num mesmo instante para o mundo inteiro (1 Co 15:52). Isso acontecera repentinamente, numa fração de segundo você se encontrará na presença do Senhor.
  • O mundo não verá o Senhor Jesus no instante do Arrebatamento, porque nessa ocasião Ele não tocará a terra; nós é que subiremos para encontrá-lo nos ares (1 Ts 4:17).
  • O mundo (os não arrebatados) sentirá falta dos crentes, porque estes já não estarão mais na terra (Lc 17:34-36).
  • Para os crentes inicia-se o período das bodas do Cordeiro (Apc 19:7-8).

  1. Quanto aos que ficarem?
  • Com a subida da Igreja inicia-se o período da tribulação.
  • Se você não for arrebatado, não aceite a marca da besta; recuse-a com veemência, pois quem quer que receba a sua marca na fronte ou sobre a mão, sofrerá pelos séculos dos séculos (Apc 14:9-12).
  • Invoque o nome de Jesus. É melhor ser decapitado, morto ainda que de forma dolorosa, cruel, pelo anticristo, mas ir morar no céu, ser contado entre a grande multidão (Apc 7:9-17) lavada pelo sangue do Cordeiro, do que viver eternamente no inferno.

  • vv.4-11 – Descreve os seres que estão ao redor do trono, na presença de Deus.

CAPÍTULO 5
  • Fala do livro da redenção (a história da humanidade) – somente o cordeiro foi encontrado digno de abrir o livro.
  • O livro contém sete selos – a abertura do último selo desencadeia no toque das sete trombetas.

CAPÍTULO 6
  • Uma vez que as igrejas foram avisadas de seus pecados, chamadas ao arrependimento, o apóstolo João, passar a ver os acontecimentos que viriam após os seus dias (Apc 4:1). Estes acontecimentos se dão após o arrebatamento.




Ordem Cronológica dos acontecimentos na terra
à a = principio)  ANO ZERO à  1ª Vinda de Cristo (morte e ressurreição) à Igreja à Arrebatamento à [Tribulação (3½ anos) e Grande Tribulação (3½ anos)] à 2ª Vinda (Glória) à Armagedon à Milênio à ... (W = fim à     (Pré-tribulacionista e Pré-milenista)

à a = principio) ANO ZERO à 1ª Vinda de Cristo (morte e ressurreição) à Igreja à [Tribulação (3½) – Arrebatamento – Grande Tribulação (3½)] à 2ª Vinda (Glória) à Armagedon à Milênio à ... (W = fim à     (Mid-tribulacionista ou mesotribulacionista e Pré-milenista – Apc 11:15-19 soa na metade da tribulação; 1 Co 15:52 entendem que se refere a sétima trombeta)

  • A tribulação de sete anos divide-se em duas etapas: 1ª etapa) Os primeiros 3 ½ anos de falsa paz; 2ª etapa) os segundo 3 ½ anos de grande tribulação.
  • As bodas do Cordeiro acontecem durante o período da Tribulação para os pré-tribulacionista e para os mesotribulacionista durante o período da Grande Tribulação.

A Tribulação
  • A tribulação será um tempo de sete anos, entre o Arrebatamento da Igreja e a Segunda Vinda do Senhor Jesus (manifestação de Cristo ao mundo). Ela começa com a remoção da Igreja para o céu (1 Ts 4:17) e termina na batalha do Armagedon (Apc 16:16).
  • A tribulação corresponde a última semana de Daniel, chamada de Septuagésima Semana de Daniel, quando o Anticristo fará uma aliança por sete anos com muitos (Dn 9:27).
  • Neste capítulo temos a primeira série de julgamentos sobre o mundo (a humanidade) à Jesus Cristo (o Cordeiro) abre os sete selos: 1º selo: Cavalo branco e seu cavaleiro trazem guerra, ele está armado e veio para vencer, entretanto aparentemente não retira a paz do mundo (guerra fria). 2º selo: Cavalo vermelho e seu cavaleiro trazem guerra aberta. A paz do mundo é retirada. 3º selo: Cavalo preto e seu cavaleiro trazem fome ao mundo. Com um denário (moeda de prata romana) se podia comprar 8 medidas de trigo ou 24 de cevada. Este versículo nos mostra uma grande escassez de alimentos. 4º selo: Cavalo amarelo e seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o inferno o estava seguindo. Estes trazem todos os tipos de morte possíveis aos homens. 5º selo: descreve uma visão das almas que tinham sido mortas por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam e a este foram dadas vestiduras branca e foi pedido que aguardassem até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
  • 6º selo: descreve a visão de um grande terremoto e de uma grande perturbação cósmica (o sol, a lua, as estrelas são destruídos), diante esta grande perturbação cósmica todos os homens da terra se escondem nas cavernas e nos penhascos dos montes. Estas perturbações cósmicas são preditas em outros lugares das Escrituras (Is 34:4; Joel 2:30-31; Mt 24:29). Neste tempo os homens agirão como se fosse o fim do mundo.
  • Jesus descreve a tribulação (Mt 24). O primeiro período é chamado de O Principio das dores (Mt 24:3-14). O segundo período é chamado de A Grande Tribulação (Mt 24:15-28).
CAPÍTULO 7
  • Após a abertura do 6º selo, há um interlúdio, um espaço de tempo, antes da abertura do 7º selo.
  • (vv.1-8) - Neste interlúdio 144.000 israelitas, 12.000 de cada tribo serão marcados com o selo do Deus vivo. Estes serão protegidos para desempenharem algum serviço para Deus neste período de tribulação.
  • Para alguns estudiosos 144.000 significa a plenitude do povo de Deus.
  • (vv.9-17) – João vê uma grande multidão (de todas as raças e línguas) adorando a Deus. Esta grande multidão era composta de homens e mulheres que venceram durante a grande tribulação, que lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro; isto é, que creram em Cristo durante a tribulação e não se apostaram de sua fé. Estes passaram pela grande tribulação, isto é, não vieram do arrebatamento.

CAPÍTULO 8
  • Temos aqui a segunda série de julgamentos.
  • v.1 – Abertura do 7º selo. Ao abrir o 7º selo, João tem a visão de sete anjos e a cada um foi dada uma trombeta.
  • v.7 – A primeira trombeta anuncia saraiva (granizo) e fogo sobre a terra. A terra é ferida. A natureza é destruída.
  • v.8-9 – A segunda trombeta anuncia ferimento sobre o mar.
  • v.10-11 – A terceira trombeta anuncia ferimento dos rios e das fontes de água pura.
  • v.12-13 – A quarta trombeta anuncia o ferimento dos céus.
  • Entende-se que os três primeiros juízos, ocorrem simultaneamente com os cinco primeiros selos. A quarta trombeta deverá ocorrer juntamente com o 6º selo.

CAPÍTULO 9
  • vv.1-12 – A quinta trombeta anuncia que os homens são feridos por gafanhotos. São poupados somente os homens que possuíam o selo de Deus sobre as suas frontes. Estes gafanhotos surgem do poço do abismo, anjos caídos (demônios). Possivelmente sejam gafanhotos energizados por demônios. Os homens que possuíam o selo de Deus devem ser os 144.000 israelitas descritos no capítulo sete (Ap 7:8).
  • vv.13-21 – A sexta trombeta anuncia a libertação de quatro anjos, que levantam um exercito de 200.000.000 de criaturas, para destruir a terça parte os homens. Entretanto os homens que não foram destruídos não se arrependeram de suas más obras, continuaram adorando a demônios e ídolos, continuaram assassinando, praticando feitiçarias, prostituição, etc.

CAPÍTULO 10
  • Este capítulo inicia-se mostrando um interlúdio entre a sexta trombeta e a sétima. Neste interlúdio o apóstolo João ouve coisas que não lhe foram permitido ser revelados, mistérios de Deus ainda oculto para nós.

CAPÍTULO 11
  • O Templo (vv.1,2): Ao que tudo nos indica, João vê novamente o santuário de Deus reconstruído, isto é, o Templo de Salomão, no qual o ritual religioso judaico será novamente oficializado. A reconstrução deve acontecer nos primeiros 3 ½ da tribulação.
  •  As Duas Testemunhas (vv.3-14): Talvez dois seres humanos literais. Muitos acreditam que sejam Elias e Moisés, por causa dos sinais descritos neste capítulo (Ap 11:6). Estas duas testemunhas se manifestaram no período da grande tribulação. Os símbolos que aparecem a respeito das duas testemunhas oliveiras e candeeiros demonstram que servem a Deus e que vieram para trazer luz em meio as trevas deste período.
  • Mil duzentos e sessenta dias (v.3): Equivale a três anos e meio, referindo-se, provavelmente, à segunda metade da Tribulação.
  • A Besta (v.7): O anticristo, também chamado o “homem da iniqüidade” (2 Ts 2:3).
  • A Sétima Trombeta (vv.15-19): O segundo ciclo de juízos termina com a sétima trombeta, descrevendo a 2ª vinda do nosso Senhor Jesus Cristo, enfocando o juízo final e triunfo do Seu governo.

CAPÍTULO 12
  • Neste capítulo se inicia a descrição dos acontecimentos históricos (passado) e de fatos que ainda aconteceram de forma espiritual.
  • Uma mulher (v.1): Ela representa Israel, que deu Cristo ao mundo (v.5) e que será severamente perseguida durante a tribulação (v.13).
  • Um dragão, grande, vermelho (v.3): Representa a Satanás.
  • Um filho varão: Jesus Cristo (Mq 5:3).
  • vv.7-12: Satanás é expulso do céu definitivamente, isso aconteceu com a crucificação e ressurreição de Jesus Cristo (Cl 2:14-15).
  • vv. 13-18: Satanás ao perceber que foi derrotado no céus transfere toda sua fúria para Israel e para a Igreja (descentes da fé).

CAPÍTULO 13
  • A Besta (v.1-10): Descrita como um ser poderoso, que difamará o tabernaculo de Deus (o Templo de Deus). Seu poder é dado diretamente por Satanás (o dragão). A besta aqui é o anticristo. Ler também Dn 11:36-45.
  • Quarenta e dois meses (v.5): Aparentemente os últimos três anos e meio da tribulação, durante os quais o poder do anticristo praticamente não conhecerá limites.
  • Outra besta (v.11-18): Este é um agente do anticristo, que também operará grandes sinais. Alguns  o chamam de falso profeta.

  • Satanás gosta de imitar a Deus, seu grande desejo é ser como Deus: Deus se manifestou ao homem sempre através da Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Satanás (anti-Deus) criou o Anti-cristo e o falso profeta (anti-Espírito Santo) para ter sua própria trindade demoníaca. Deus marca seus filhos com o selo que é seu “espírito”. Satanás também esta criando meios para marcar os seus.




CAPÍTULO 14
  • vv.1-5: Descreve o Cordeiro (Jesus) com os 144.000 israelitas que haviam sido selados durante a Tribulação. Eles estão sobre o monte Sião, entretanto, estão numa dimensão espiritual e não visível a nós homens. Os 144.000 estão no céu.
  • Castos (v.4): Pode simbolizar apenas que são puros.
  • vv.6-8: Pode ser esta é a última proclamação da graça de Deus ao mundo antes do retorno de Cristo à terra sob juízo; ou simplesmente é o anuncio de que o Reino de Cristo vai se iniciar e junto com este anuncio de que o reinado do anticristo chegou ao fim.
  • vv.9-13: Nestes versos temos a condenação de todos que se deixaram marcar pelo sinal da besta e que o adoraram.

CAPÍTULO 15
  • Neste capítulo temos o anuncio do ciclo das sete taças da ira de Deus. Os que venceram a besta (anticristo), que não se renderam a ele, se encontravam com Cristo no céu. Os adoradores do anticristo passam a receber o castigo de Deus, conforme descrito no próximo capítulo.

CAPÍTULO 16
  • vv.1-2: O primeiro flagelo à úlceras malignas e perniciosas.
  • vv.3: O segundo flagelo à As águas do mar se torna em sangue.
  • vv.4-7: O terceiro flagelo à As águas do rio e fontes se transformam em sangue.
  • vv.8-9: O quarto flagelo à Intenso calor, causado pelo sol, geram queimaduras nos homens.
  • vv.10-11: O quinto flagelo à Profundas trevas sobre a terra. As dores anteriores continuavam sobre os homens de forma intensa.
  • vv.1-5: O sexto flagelo à As águas do rio Eufrates se secam para a passagem de exércitos que pelejaram contra o anticristo.
  • vv.13-14: Espíritos malignos são liberados pelo anticristo e pelo falso profeta para ajuntar todos os homens da terra e pelejar contra o exército de Jesus Cristo (Cordeiro).
  • Armagedon: Literalmente, Monte de Megido, junto a cidade do mesmo nome. Megido era uma cidade de grande importância pela qual passava uma estrada ligando os grandes reinos da Mesopotâmia e do Egito.
  • vv.17-21: O sétimo flagelo à Grandes terremotos que causam a destruição da grande cidade (Babilônia/Jerusalém), o império do anticristo, a fortaleza do anticristo.

CAPÍTULO 17
  • Temos mais uma interrupção para explicar sobre o significado da grande Babilônia. Mais adiante, o apóstolo João (Ap 19:17-21), volta a falar da batalha do Armagedon.
  • Este capítulo descreve a Babilônia Religiosa e Política. O texto parece indicar mais Roma (1 Pe 5:13) do que realmente a antiga cidade Babilônica.
  • Dez chifres (v.12): representam 10 reis. A confederação de dez nações que se formará no Ocidente e será liderada pelo anticristo (Dn 7:23-24; Ap 13:1).
  • v.15: A igreja apostata será ecumênica, isto é, mundial.
  • v.16: A besta irá se voltar contra a grande meretriz.

CAPÍTULO 18
  • A partir deste capitulo trata mais do aspecto comercial, econômico da grande Babilônia (Império Romano).
  • Tanto o capítulo 17 como este, o capítulo 18, buscam mostrar a ruína desta grande cidade.
  • vv.1-3: Somos informados do fim deste império que se tornou morada de demônios, de todos que não tiveram temor a Deus, que buscaram riquezas e prezeres deste mundo.
  • vv.4-8: Temos um alerta dirigido a nós, que tememos a Deus. “Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados, e para não participardes dos seus flagelos”. Deus convoca os que o temem a abandonar este sistema perverso, esta estrutura maligna que nos faz adoradores do dinheiro, da fama, do bem-estar, da luxuria.
  • vv.9-19: Muitos se lamentarão porque não encontrarão mais riquezas, mais fama. O juízo chegou sobre o grande sistema perverso, sobre a grande cidade da Babilônia.
  • vv.20-24: Os santos (todos os crentes de todas as épocas) são chamados a se alegrarem porque Deus julgou a grande babilônia.

CAPÍTULO 19
  • vv.1-2: Descreve a grande alegria do povo de Deus pelo julgamento da grande meretriz que corrompia a terra com a sua prostituição.
  • vv.7-9: É chegado o tempo das bodas do Cordeiro.
  • vv.11-21: Descreve a vitória de Cristo, onde se concretiza a 2ª vinda de Jesus, e o fim da batalha do Armagedon.
  • Obs.: Este é um ponto de vista que chamamos de Pré-milenista.

CAPÍTULO 20
  • vv.1-3: A prisão de Satanás por mil anos.
  • É o tempo quando Cristo reinará sobre a Terra (Is 2:3; Dn 7:14; Zc 14:9). Satanás não terá liberdade de agir (Ap 20:2), a justiça florescerá (Is 11:3-5), a paz será universal (Is 2:4) e a produtividade da Terra será grandemente aumentada (Is 35:1-2).
  • vv.7-9: Ao final deste período, mil anos, Satanás será solto para fazer uma última tentativa de derrubar a Cristo, mas sem sucesso. A dificuldade de interpretação aqui se encontra no fato de Satanás conseguir ajuntar as nações contra o Reino de Jesus Cristo.
  • Alguns interpretes (teólogos) entendem que participarão do reino milenar de Cristo: 1) Os filhos da ressurreição com o corpo glorificado, assim como Cristo; 2) Os súditos do Reino, são os homens que restaram da tribulação e estarão em seus corpos naturais como temos hoje. Continuarão casando e tendo filhos. A Palavra continuará sendo pregada a todos (Is 11:9b).
  • vv.11-15: A descrição do julgamento final.

CAPÍTULO 21
  • vv.1-7: Descreve a visão da Nova Jerusalém.
  • v.8: Descreve os que não poderão entrar na Nova Jerusalém.
  • vv.9-27: Descreve como será a Nova Jerusalém.

CAPÍTULO 22
  • vv.1-5: É apresentada a nós mais promessas a respeito de nossa nova morada.
  • vv.6-17: O Senhor Jesus nos conforta com a promessa de que estas palavras se cumprirão em seu devido tempo.
  • vv.18-19: Advertência aqueles que ousarem mudar qualquer palavra deste livro profético. A Bíblia nos apresenta outras advertências como essa em Dt 4:2; 12:32; Pv 30:6.
  • vv.20-21: Reafirmação de sua promessa e a benção final.

2 comentários:

  1. a paz amado de Deus adorrei,muito este estudo, gloria a Deus, bom seria se todas as pessoas lessem mais a bilia.o mundo estaria bem melhor,por que atraves da palavra ser lida aumentaria mais a nossa fé. DEUS O ABENÇOE.

    ResponderExcluir

Translate

NOTÍCIAS