TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

sexta-feira, 13 de abril de 2012

MINISTÉRIO PASTORAL 5 - QUESTÕES PARA SE PENSAR A RESPEITO DO MINISTÉRIO

QUESTÕES PARA SE PENSAR A RESPEITO DO MINISTÉRIO

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

As questões que apresento neste estudo foram levantadas por Frank Dietz, em seu livro “Ministros de Cristo No Século XXI”. Vejamos algumas destas questões.

1 – O ministério é para nós sacrifício ou sacrilégio?
·        Sacrifício é a rendição ou destruição de algo a favor de uma outra coisa que seja considerada de maior valor ou maior urgência.
o   Quando abrimos mão de algo para a obra de Deus oferecemos sacrifício de amor. Ofereço sacrifício quando renuncio aos meus direitos, ambições, etc, por realizar a vontade de Deus.
o   Enviar servos para missões é um tipo de sacrifício.
·        Sacrilégio é o roubo de qualquer coisa que tenha sido consagrada ao serviço de Deus.
o   Quando nos recusamos a obedecer ou oferecer algo que Deus nos pede cometemos sacrilégio. Devemos nos lembrar que consagramos nossas vidas a Deus, isso implicam o que somos e o que temos. Será que não roubamos no tempo? Será que não roubamos em nossos bens materiais? No uso do nosso corpo?
o   Acã cometeu sacrilégio. Malaquias (1.8) critica o povo porque estavam cometendo sacrilégio.


2 – O ministério deve ser caracterizado pela uniformidade ou unidade?
·        Uniformidade é caracterizada pela falta de diversidade e pela monotonia. A uniformidade é a busca da igualdade de pensamento, do andar, falar, vestir, etc. Uniformidade não privilegia a característica ímpar de cada pessoa.
o   Exige-se a igualdade de cada pessoa.
·        Unidade é caracterizada pelo valor que se dá ao individuo. As diferenças são valorizadas para a existência do “todo”.
o   Não se exige a igualdade de cada pessoa ou objeto, mas a entrega de cada um em busca de um único propósito.

3 – O ministério deve proporcionar comunhão ou competição?
·        Comunhão nos leva a servirmos uns aos outros. Em nossa diversidade a comunhão nos faz contribuir na edificação uns dos outros.
o   Vivemos do compartilhar das experiências. Nos dispomos a doar de nós e do nossos recursos em prol do outro.
·        Competição nos leva ao caminho do individualismo. Fortalece o egoísmo e o orgulho.
o   Vivemos da valorização por meio da comparação. Minha igreja é melhor que a sua. Meu dízimo é maior que o seu.

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS