TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 28 de março de 2013

REFLEXÃO 77 - RESTAURANDO A IMAGEM DA IGREJA 3


RESTAURANDO A IMAGEM DA IGREJA - 3

Hoje irei continuar nossa reflexão Restaurando a Imagem da Igreja.
Falamos que a igreja de hoje está com sua imagem comprometida diante a sociedade. A distorção de sua imagem acontece porque temos uma práxis pastoral e uma teologia muito legalista, que se prendem aos ritos e a discussões que não levam a lugar algum; também dissemos que esta distorção se deve em grande parte por causa dos líderes religiosos que têm ocupado a mídia de maneira geral.
Afirmamos que para restaurarmos a imagem da igreja precisaríamos uma práxis pastoral mais atuante no meio do povo, que respondesse as questões do aqui e agora, sem se esquecer das promessas do mundo vindouro e que precisaríamos desvincular a imagem da igreja da imagem gerada pelos pastores da mídia.
Hoje gostaria de afirmar que também precisamos separar a igreja do Estado, resgatando seu valor para o Estado. Embora nossas igrejas afirmem não terem vínculo com o Estado, percebemos que seu discurso não é uma realidade, uma vez, que nossas igrejas se aliam aos governantes em busca de seus favores. As portas da igreja são abertas para pedir votos, para apoiar determinados líderes políticos em troca de ajuda financeira ou de um terreno em algum ponto da cidade. A espiritualidade e a fé são vendidas em nome de um crescimento da igreja local. Creio que isso acontece porque não temos profetas gritando contra o domínio do mal na vida da igreja e da sociedade.


3 – precisamos resgatar o valor profético da Igreja para o Estado.
Como pastor batista defendo a separação do Estado e da Igreja. O Estado deve cuidar e dar assistência ás pessoas na esfera política, econômica e social. Essa tarefa por si só exige muito do Estado. A igreja deve cuidar da esfera espiritual de cada ser humano. Quanto a esta tarefa iremos tentar entendê-la melhor mais a frente.
Essa divisão da forma como estou apresentando parece colocar cada uma destas instituições em seu devido lugar. Entretanto, no dia a dia, estas instituições parecem não corresponder as obrigações que lhe são devidas. As pessoas hoje estão mal assistidas politicamente, economicamente, socialmente e espiritualmente.
Igreja e Estado embora atuem em esferas diferentes devem trabalhar em cooperação, pois só desta forma poderão suprir o ser humano em sua totalidade, pois o ser humano deve ser pensado de forma integral.
A Igreja deve ajudar o Estado agindo como mediadora da presença e da vontade de Deus, portanto além do exercício sacerdotal, ela precisa ser profética.
Uma igreja é profética quando sem medo denúncia tudo que o Estado promove e promoverá que vai contra a vontade de Deus.
Quero deixar claro que a Igreja não deve atacar o Estado por atacar. Ela deve ao Estado submissão e respeito enquanto o Estado luta pela preservação da Lei de Deus.
Infelizmente nossas igrejas têm se silenciado diante tudo que o Estado pratica. E o pior, ela não só se silencia por temer o Estado, o que demonstra que ela adora mais o Estado do que o próprio Deus, como também ela se associa com o Estado.
Essa associação se vê presente quando as igrejas buscam benefícios do Estado e transformam seus templos em lugares de campanha política. Muitas igrejas trocam votos em troca de terrenos e batistérios. Eu mesmo já participei de uma reunião onde pastores pediam a um futuro prefeito, na época ainda em campanha política, para que o mesmo os ajudassem na ampliação de suas igrejas, e eles se comprometiam em ajuda-lo em sua campanha política.
A Igreja de Cristo não pode se submeter ao Estado quando este não manifesta comprometimento com os valores do Reino de Deus. A Igreja não pode se silenciar enquanto o Estado não cumpre seu dever em estabelecer a justiça, a paz e a dignidade entre os indivíduos da sociedade.
Quando o Estado esta dominado por políticos corruptos, governantes inescrupulosos, temos por consequências sistemas institucionais do Estado que deveriam cuidar do povo, mas não o fazem, pois não tem dinheiro, não tem médicos para atender, não tem remédios, não pagam salários dignos aos seus professores, aposentados, etc.
E qual deveria ser a atitude da Igreja diante este Estado? A atitude deveria ser a de Elias diante Acabe, a de Natã diante Davi, a de Amós diante de Jeroboão II (Rei do reino do Norte), etc..
Deus espera uma Igreja profética que fale o que está no Seu coração, que defenda os valores de Seu Reino. Somente desta forma iremos restaurar a imagem da Igreja de Cristo.

Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira
21/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS