TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

ESTUDOS 21 - REFUTANDO A DOUTRINA DA DETERMINAÇÃO

Refutando a doutrina da Determinação

    Entres as heresias ensinadas pelos teólogos  da prosperidade, a mais falaciosa é a doutrina da determinação. Esses pregadores ensinam que em João 14.13 onde aparece o termo pedir está mal traduzido, pois no grego significaria determinar.  Isso é uma falácia de altíssimo grau! Vamos ver como reza o texto em diferentes versões da Bíblia:
  E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. [RA]
E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.[RC]
E tudo o que vocês pedirem em meu nome eu farei, a fim de que o Filho revele a natureza gloriosa do Pai.[NTLH]


  A palavra grega usada aí para pedir é  aitew (aiteo), que segundo o Léxico de Strong significa : pedir, rogar, suplicar, desejar, requerer e não determinar. O termo grego para determinar é: paragellw (paraggello). Além disso,  a doutrina da determinação fere a soberania de Deus.  Deus é Senhor de todas as coisas. Nós estamos submissos à sua vontade e não ele à nossa. É muita pretensão  determinar coisas como se Deus estivesse aos nossos préstimos. Isso é uma inversão de valores perniciosa e que tem conseguido inúmeros adeptos no meio evangélico brasileiro. Outro dia, um certo pregador televisivo  encerrou sua oração da seguinte forma: “...é o que determinamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.” Isso é um absurdo! Onde estão frases do tipo: “ humildemente pedimos” ou “reconhecemos que nada merecemos mas te pedimos em nome de Jesus” ou simplesmente “ te pedimos...”? Eu respondo. Estão sendo banidas pelo falso evangelho conhecido como teologia da prosperidade. Nessas horas é que nos lembramos dos livretos de Bill Bright, quando ele ilustra o homem não nascido de novo com o “Eu” no centro.
          O apóstolo João 5.14 diz: “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve”. Aqui mais uma vez é usado o termo aiteo, assim como em Jo14.13, mostrando que em nenhum momento Jesus ou os apóstolos ensinaram a determinação.

Deus disse: “O filho honra o pai, e o servo, ao seu senhor. Se eu sou pai, onde está a minha honra? E, se eu sou senhor, onde está o respeito para comigo?”(Ml:1.6)
     Onde já se viu um  filho determinar  o que quer que o pai faça? Ou semelhantemente um servo determinar algo à seu senhor?  O filho é submisso ao pai e o servo submisso à seu senhor. Se Deus é nosso Pai então devemos honrá-lo como tal. Se ele é nosso Senhor então a nossa postura deve ser de Servos. Determinar algo para o “poder de Deus” entrar em ação e fazer como ensinam alguns pregadores televisivos é desonrar  à Deus como Pai e não coloca-lo na posição de Senhor. Não deixemos nossos irmãos serem enganados por essa falsa doutrina que está cada vez mais ganhando espaço nas igrejas.

Francisco Belvedere Neto
Cidade: Curitiba  PR
Idade 21 anos
Igreja: Igreja Metodista Central de Curitiba
Cargo que ocupa: Diácono e Saminarista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS