TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 28 de maio de 2015

MENSAGEM 17 - APRENDENDO A ORAR (1) - A BOA PARTE

APRENDENDO A ORAR (1):
A BOA PARTE – Lc 10.38-42

Introdução: A geração atual é caracterizada por ser uma geração multitarefa, capaz de fazer duas ou três coisas ao mesmo tempo.
Tenho dois filhos adolescentes, e algumas vezes nos sentamos juntos para assistirmos TV, neste momento estamos acompanhando a série Arrow (flecha, arqueiro). Ás vezes, eu tiro os olhos da TV e vejo meus filhos teclando nas redes sociais com seus amigos, através de seus smartphones, enquanto assistem ao programa; e ainda conversam comigo durante a programação. Isso é incrível!
O homem tem se tornado cada vez mais multitarefa, contudo isso não funciona quando desejamos falar com eles algo importante, porque precisamos de toda atenção neste momento, para que o que desejamos falar chegue ao coração deles.
Essa verdade também serve para nossa relação com Deus. Quando desejamos falar e ouvir Deus precisamos parar tudo o que estamos fazendo e prestar atenção Nele. Precisamos aquietar-nos em todos os sentidos, aquietar nosso mundo exterior e também nosso mundo interior.


1 – “Marta o recebeu” (v. 38)
Marta abriu a porta para Jesus, contudo ela estava perdida em meio as tarefas, possivelmente dividida entre a alegria de receber a Jesus, e ao pesadelo de ter que arrumar a casa e preparar o almoço para Jesus e seus discípulos, afinal Jesus nunca andava sozinho. Marta se concentrou na sua agenda e não na agenda de Jesus.
Muitas vezes abrimos a porta para Jesus entrar em nossas casas, para entrar em nossos corações, mas por vivermos num mundo em que a quantidade e intensidade das demandas que envolvem nossas vidas são tantas, nos sentimos reféns dessas demandas. Vivemos angustiados e ansiosos na tentativa de conseguirmos concluir nossa agenda do dia. No andar do relógio as tarefas vão sobrepondo-se umas as outras, corremos para tentar cumprir a agenda do dia, ao mesmo tempo, em que corremos para organizar a agenda do próximo dia. Terminamos o dia enfadados, cansados e estressados pela agenda que nos engoliu durante o dia, e, ao mesmo tempo ansiosos, preocupados com a agenda do próximo dia.
Assim como Marta, você pode ter se concentrado em sua agenda, a consequência é que você nem percebeu que abriu a porta para Jesus. O Criador entrou em sua casa e você não deu conta do que aconteceu. O Todo-Poderoso sentou na sua sala, mas perdido no caos em que sua vida se tornou, você esqueceu de alinhar sua agenda com a agenda de Jesus.

2 – “Maria ficou sentada aos pés de Jesus, ouvindo a Sua Palavra” (v. 39)
Onde estava Maria? No quarto? Realizando alguma tarefa da casa com Marta? Não sabemos, mas sabemos que ao ouvir a voz de Jesus, ela deixou o que estava fazendo para ir ao seu encontro e ouvir o que Ele tinha a ensinar.
Todos nós vivemos no caos, isto é, todos nós vivemos uma vida desordenada, exteriormente e interiormente desde que Adão e Eva decidiram viver por suas próprias escolhas.
A ordem só pode ser restabelecida em nossas vidas a partir de um relacionamento íntimo com Deus, a partir de uma escolha em ouvir e aplicar os ensinamentos de Jesus em nossas vidas.
Precisamos fazer uma escolha intencional por Jesus, precisamos priorizar o tempo com Deus em nossas agendas, para que possamos ouvi-lo e a partir de seus ensinos, colocar nosso mundo interior em ordem.

3 – “Marta, porém, estava ocupada com muito serviço” (v. 40)
            Quando alguém vai a minha casa, nos visitar, a Silvana fica desesperada em limpar a casa, para receber bem a visita. Creio que este era o sentimento de Marta. Com certeza ela desejava receber bem a Jesus e seus amigos. Imagino Marta correndo para limpar a sala, recolhendo tudo que estava jogado no sofá, e depois correndo para a cozinha para descascar cebola, picar o alho, lavar o arroz, cozinhar, colocar a mesa, servir um aperitivo para Jesus, até que o almoço ficasse pronto. Ela desejava marcar a vida de Jesus preparando a melhor refeição que ela poderia fazer para ele, sendo a melhor anfitriã, e, podemos dizer a melhor diaconisa possível, pois a palavra “serviço” no grego é “diaconia”.
Creio que nossas igrejas, hoje, têm nos ensinado a vivermos como Marta. Acabamos nos envolvendo em tantos serviços, que acabamos nos distraindo e perdendo a “boa parte” em nossa relação com Deus.
Nós abrimos a porta de nossos corações para Jesus, e de repente percebemos que temos que nos voluntariar em alguns dos ministérios da igreja: evangelismo, missões, socorrer aos necessitados, louvor, etc. Todas estas tarefas são importantes na vida da igreja, fazem parte da missão da igreja de Cristo, mas precisamos cuidar para não nos distrairmos e deixarmos de lado a “boa parte”.

4 – E, aproximando-se dele, perguntou: “Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!” (v. 40)
Marta ficou indignada com Maria que a deixará sozinha em meio a tantas tarefas. Sua indignação foi tanta que reclamou com Jesus, a fim de que Ele ordenasse a Maria que fosse ajuda-la.

5 - Respondeu o Senhor: “Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas” (v. 41)
            Jesus diz para Marta: “você está ansiosa”. A palavra “ocupada”, que aparece no verso 40, no grego é periespato que significa “se distraia”.
            A resposta de Jesus não apresenta uma condenação a Marta. Jesus sabia que as “Martas” são extremamente importantes no dia-a-dia da igreja e da expansão do Reino de Deus, mas ele esta tentando mostrar para Marta e para as “Martas” que não é possível amá-lo e servi-lo sem que se valorize a “boa parte”.
As “Martas” da vida, os empreendedores, os que gostam de atividades, as pessoas mais voltadas à ação correm o risco de esquecer que não são eles que trabalham para Deus é Deus que trabalha para eles. A maior obra que Deus quer fazer não é a obra que Ele esta fazendo através de nós, mas a que Ele está fazendo em nós.
Davi decidiu construir uma casa para Deus, o profeta vai até Davi e diz que Deus falou que Ele não precisa de casa feita por homens, e por sinal relembra a Davi que quem estava no governo era Ele, Deus, e não Davi.
Não deixe que as demandas distraia você do que Deus que realizar em você, e, depois através de você. Não permita que as diversas atividades de sua agenda o faça pensar que você é quem está no controle dela.



6 – “Maria escolheu a boa parte” (v.42)
Todo trabalho possui diversas tarefas, algumas destas tarefas não são tão boas quanto outras, mas são necessárias, não podemos apenas executar a boa parte. Para alcançarmos objetivos profissionais, familiares, precisamos planejar, treinar, realizarmos reuniões e mais reuniões, embora isto possa parecer que não seja tão bom, mas são necessários para a realização de um bom trabalho. Tudo isso forma o todo, e Maria escolheu a “boa parte” do todo.
Quando Jesus diz que Maria escolheu a “boa parte”, ele não está dizendo que as demais partes do todo não sejam importantes, mas que ela escolheu “a boa parte” do todo.
O trabalho de Marta era importante. Não tem como fazer a obra de Deus sem que haja “Martas”. O mundo e a igreja precisam de Martas, mas o ensino que esta história nos trás é que não podemos nos descuidar da “boa parte”.
Ser discípulo de Jesus implica em servir ao próximo, amar o outro, e Jesus por diversas vezes enfatizou essa verdade, mas aprendemos aqui que existe algo que antecede tudo isso, que é indispensável para qualquer discípulo de Cristo... ter tempo de relacionamento profundo com Deus.
Do todo da agenda cristã, Jesus, chama de “boa parte” – o momento que paramos para ouvi-lo. Maria escolheu a “boa parte” que muitos de nós tem desprezado – sentar aos pés de Jesus e ouvi-lo.

Conclusão: Ao abrirmos mão da boa parte perdemos a sensibilidade espiritual, nossos ouvidos parecem não mais distinguir a voz do nosso pastor. Nosso mundo se transforma num caos, pois as prioridades ficam em desordem e acabamos como Marta. Abrimos a porta para Jesus, mas não percebemos que o Criador entrou em nossa casa, em nossa vida, não paramos para ouvir seus conselhos e orientações.
Precisamos cuidar, porque mesmo as boas obras podem se transformar em armadilhas para nossas vidas quando não priorizamos o tempo com Jesus para ouvi-lo.
Jesus tinha em sua agenda momentos contemplativos, tempo para falar e ouvir o Pai; mas também tinha em sua agenda tempo para atender o povo. Contudo quando lemos o livro de Lucas percebemos que o tempo contemplativo era para Jesus de grande importância na sua agenda (Lc 5.16; 6.12; 9.18; 9.28; 11.1; 22.41).
A boa parte acontece quando decidimos buscar Deus para ouvi-lo, seja na oração do quarto ou no culto.
O culto também é o lugar onde nos assentamos para ouvirmos Jesus. Quando nos afastamos do culto, damos inicio a um processo de esfriamento e insensibilidade espiritual, que nos levará a permitir que nossos corações sejam tomados por algum outro senhor no lugar de Jesus Cristo.
Se você diz que ama a Jesus Cristo e não tem desejo de sentar e ouvi-lo, de ter um tempo a sós com Ele; talvez você não O ame tanto quanto pensa. Quando se ama alguém desejamos ficar com ela. Se você diz que ama seu esposo(a), mas não deseja ficar a sós com ele(a), é bem possível que você não o ame tanto quanto diz.

Reflexão e Desafio:
Você é Marta ou Maria nesta história?
·         Se você é Marta integre a sua vida a “boa parte” para que você possa perceber Jesus e colocar seu mundo interior em ordem.
·         Se você é Maria integre as demais partes da vida cristã na sua vida. Envolva-se com as tarefas de sua igreja mais ativamente, sem abandonar a “boa parte”.

Pr. Cornélio Póvoa e Oliveira

27/03/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS