TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

REFLEXÃO 320 - A MENTE DE CRISTO

A MENTE DE CRISTO

"Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo" (1Co 2.16).
Nem todos podem compreender o fato de que Quem nos pode falar acerca de Deus , Sua Glória e Seus mistérios é o Espírito Santo. Paulo diz haver dois tipos de pessoas: as psychikói (naturais) e as pneumatikoi (espirituais). Está completamente fora das possibilidades do homem natural compreender o Espírito, pois só quem tem a mente purificada pode fazê-lo. Porque o Espírito tomou posse do crente, em vez da mente natural, possui "a mente de Cristo". "O homem que possui o Espírito compartilha do divino " (cf. 2Pe 1.4 ). Paulo fez uma afirmação ousada: "nós temos a mente de Cristo", por essa razão, o homem espiritual não vê as coisas da perspectiva do mundo, mas do ponto de vista do seu Salvador.
Que acontece, então, quando se tem a mente de Cristo?


TEMOS MAIOR DESEJO DE SER SANTIFICADO
Compreenda-se que há na salvação três estágios: a conversão ou justificação, a santificação e a glorificação. No primeiro caso, há perdão dos pecados passados; no passo seguinte, perdão dos pecados presentes, neste processo de crescimento. Na glorificação (na glória eterna, já diz o nome), não há pecados futuros. No processo de sua santificação, há e haverá sofrimento e dificuldades, mas há e haverá muitas bênçãos expressas, sobretudo, em termos de conforto, consolação, paz, tranqüilidade, segurança e calma, coragem para a vida, força para as lutas do testemunhos e do dia-a-dia, que são expressões do poder do Espírito que tanto busca o crente.
Realmente, o Novo Testamento ensina que o oposto do sofrer não é o não-sofrer: é receber consolação. Por isso, Jesus nos garantiu que são "bem aventurados os que choram", não porque começarão a sorrir, não porque transformarão o choro em vingança, mas porque "serão consolados" .
Certamente, em nosso desejo de maior santificação teremos obstáculos: a vontade própria não dominada, pois vida santificada significa andar de acordo com a vontade de Deus. Há uma tendência em nosso coração a buscar o seu próprio modo de fazer as coisas e viver a vida. É esse jeito próprio que atrapalha nosso crescimento em santificação. Podemos a isso dar o nome que quisermos: carnalidade, pecado habitual, orgulho, pecaminosidade, egoísmo, egocentrismo, qualquer outro título. Isaías 53.6a resume muito bem: 'todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho". Todo o problema está no egoísmo de nossa natureza. E isso não pode ser perdoado. Tem que ser crucificado. Como Paulo expressou:
" Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim." ( Gl 2.20 )
Pode ser mais claro o ensino sobre o que temos que fazer com nosso ego?
Outro empecilho é a desobediência, que nasce da vontade não dominada. Submissão, obediência ao Espírito é absolutamente imprescindível para uma vida de sucesso: "Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são os filhos de Deus." (Rm 8.14). É isso: vida em processo de santificação está em constante orientação do Espírito Santo !
Incredulidade é outra pedra no meio do caminho da santificação. Não me refiro a descrentes, mas a quem já professou a Jesus Cristo, quem se rendeu a Ele como Salvador. Quer dizer, sou crente em Jesus, confio que tem poder para me salvar, livrar do inferno e das penas eternas, mas não confio que possa me dar poder para viver?! " Sem fé é impossível agradar a Deus " (Hb 11.6). E é mesmo! Pois a fé é base da vida espiritual. Daí os constantes desafios à fé, e o pedido dos discípulos ao Senhor: "aumenta-nos a fé!"

QUANDO SE TEM A MENTE DE CRISTO, HÁ O ANSEIO DOMINANTE DE QUE O NOME E A GLÓRIA DO SENHOR SEJAM HONRADOS EM NOSSA VIDA.
Mesmo que signifique isso prejuízo de qualquer qualidade, a oração do crente em Jesus Cristo será "Pai nosso, santificado seja o Teu Nome", acrescentando "seja qual for o preço a pagar". Quem tem esse sentimento vive para que Deus seja glorificado. Uma coisa é certa: para que isso aconteça, é preciso que Deus seja o Senhor de nossa vida! Significa submeter o controle de nossa vida a Ele. Há momentos quando eu quero uma coisa, e Deus deseja outra para mim. Mentimos tanto no dia a dia quando protestamos confiar em Deus e vivemos ansiosos, aflitos, alterados, mal-humorados, assustados, atribulados, amedrontados e culpados. Mentimos quando cantamos "Quero ser um vaso de benção..." desde que não atrapalhe o horário do jogo, de ver a namorada, do cinema ou da novela das sete; quando cantamos "Em mim vem habitar, ó vem Jesus..." desde que os colegas da escola, companheiros da fábrica ou do trabalho não O vejam vivendo em mim; quando cantamos "Sonda-me, ó Deus, pois vês meu coração..." e guardamos um lugar em nossa vida onde o Senhor não pode entrar; quando cantamos "A Ti seja consagrada a minha vida, ó meu Senhor..." e "Minha prata e ouro toma, nada quero Te esconder..." e não trazemos o dízimo à Casa do Tesouro, à Igreja, para que haja provisão e mantimento na Casa do Senhor. Os exemplos de cantar uma coisa e viver outra são quase infinitos, no entanto, um crente com a mente purificada deseja que o Nome do Senhor seja enaltecido em sua vida em qualquer circunstância.

QUANDO SE TEM A MENTE DE CRISTO, TEM-SE IGUALMENTE O DESEJO DE VER TODAS AS COISAS DO PONTO DE VISTA DE DEUS.
Ou seja, tudo avaliamos pela balança de Deus, usamos a Sua escala de valores. Isso diz respeito ao que fazemos, ao que dizemos e, até, ao que pensamos, pois uma decisão impensada, palavras ou atos sem equilíbrio e ponderação terão conseqüências funestas. Avaliar as coisas como Deus o faria é sinal de uma vida que caminha no Espírito. Isso tem a ver com a importante e freqüente pergunta, "Como saber a vontade de Deus?" Nossa mente é passível de ser afetada por vontades outras que não a de Deus. Por isso a Bíblia classifica a mente humana natural de psychikos, de carnal (Cl 2.18), o que significa o estado natural do ser humano, que nesse plano não pode compreender as obras de Deus.
A mente natural é vaidosa (cf. Ef. 4.17), ou seja, vazia (vaidade = vacuidade=estado vazio). Veja-se a história do rico sem juízo, o rico de mente vazia (Lc 12.16-20). A mente natural é corrupta, contaminada (cf. Tt 1.15). Literalmente podre levando péssimas companhias e palavras torpes.
Por outro lado, a mente dominada pelo Espírito Santo é regenerada (cf. Ef 4.23; Rm 12.2), quer dizer gerada-outra-vez, refeita. Apesar do pecado, a graça de Deus agiu e purificou a mente porque as obras do diabo são destruídas (1Jo 3.8). A mente espiritual, purificada, é equipada por Deus:
" Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e me seu coração as escreverei; eu serei o seu Deus; e eles serão o meu povo. "( Hb 8.10 )
É esse intenso anseio de tudo ver e avaliar como Deus o fez indício fortíssimo da operação do Espírito Santo em uma vida com a mente de Cristo.

QUANDO SE TEM A MENTE DE CRISTO, PREFERE-SE MORRER ESTANDO CERTO A VIVER ERRADAMENTE
O crente que ama o temporal, o terreno, que se preocupa em demasia com o material olha a morte com terror no coração. Quando passa a viver pelo Espírito, torna-se indiferente para com o terreno, e se torna mais cuidadoso com a qualidade de vida. O Novo Testamento ensina que a direção da vida está em Cristo: Ele é o caminho, é a verdade. As ações do crente são realizadas na base da vida nova dada por Cristo, o que vale dizer que o irmão/a irmã não mente porque o código dos Dez Mandamentos diz que não deve mentir, mas porque algo aconteceu na sua vida: Cristo lhe deu nova vida, e por causa do que Cristo é na sua vida.
Viver erradamente como crente tem tristes conseqüências, entre outras: perder a visão missionária porque se desviou da estrada da santificação, e "independência" e por isso desequilíbrio.

E PARA CONCLUIR
Deixamos de receber a benção por falta de anseios. O ex-missionário em nossa pátria Pr. Boswell contou-nos que quando era pastor nos Estados Unidos realizou a cerimônia de casamento da filha de uma família bem abonada da igreja e ao fim do evento recebeu um presente um par de luvas de frio. Morava no Texas onde não há esse frio que exija o uso de luvas especiais. Por mais de um ano, deixou de usá-las, até que vindo a primeira oportunidade para fazê-lo, foi calçá-las. O dedo não entrava porque a luva estava forrada. Tirou o papel que armava a luva e era uma cédula de 100 dólares; e também no outro dedo, e no outro e nos cinco dedos daquela luva. E para maior surpresa, o mesmo aconteceu na outra mão, num total de $ 1,000.00 que ignorava nosso irmão que ali tivesse à sua disposição todo aquele tempo?
É verdade: deixamos de receber as bênçãos celestes por falta de desejá-las. Ninguém se torna espiritual por si mesmo; somente o Espírito de Deus pode converter alguém numa pessoa espiritual, e sua mente natural na mente de Jesus Cristo!

AUTOR DESCONHECIDO
(não me responsabilizo pela posição e/ou leitura teológica do autor)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS