TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

CURA 4 - A PALAVRA DE DEUS E A CURA DOS TRAUMAS EMOCIONAIS - 1

A PALAVRA DE DEUS E A CURA DOS TRAUMAS EMOCIONAIS - 1

INTRODUÇÃO: Nossa personalidade é formada por diversos ensinamentos que absorvermos durante nossa infância, como também por diversos traumas que trazemos deste mesmo período. Hoje veremos como a Palavra de Deus nos leva a cura emocional, como ela nos leva a libertação dos traumas que trazemos em nossas vidas.
Muitas vezes, nós, os pregadores, damos aos ouvintes a enganosa idéia de que o novo nascimento e a plenitude do Espírito irão automaticamente resolver os problemas emocionais daqueles que se entregam a Jesus. Mas isso não é verdade. A grande experiência com Cristo, embora seja importante e de valor eterno, não constitui um atalho para a cura de nossos males mentais, isto é, a cura de nossas emoções. Não existe uma cura instantânea para nossos problemas de personalidade, entretanto devemos compreender que a aplicação da Palavra de Deus em nossas vidas nos leva a cura de nossas emoções e por meio desta a cura de nossa personalidade.

1 – Identificando algumas doenças emocionais
A) Autocomiseração – é profundo sentimento de desvalor – uma perene sensação de ansiedade, incapacidade e inferioridade, uma vozinha interior que vive a repetir: “Não presto para nada. Nunca serei nada. Ninguém pode gostar de mim. Tudo que faço dá errado”.
O que acontece a esse indivíduo quando se converte? Uma parte de seu ser crê no amor de Deus, aceita o perdão de Deus e sente paz por algum tempo. Mas depois, de repente, parece que algo dentro dele acorda e grita: “É tudo mentira! Não creia nisso! Ninguém te ama você é imprestável. Deus não te ama. Fulano não te ama. Você não presta para nada. Você só atrapalha as pessoas. Como Deus poderia amar uma pessoa como você? Você é ruim demais”.
B) Complexo de perfeiccionismo – sentimento interior de insatisfação – este sentimento surge da necessidade de se tentar satisfazer a si mesmo ou a outros. Este tipo de pessoa esta sempre procurando algo para fazer, sempre lutando em busca da perfeição. No fundo sempre lutando para satisfazer a si mesmo ou a alguém. Normalmente pessoas que possuem este complexo carregam consigo uma grande sensação de culpa.
Quantos aqui não vivem assim, tentando sempre receber louvores, receber palavras de aprovação, lutando para agradar a Deus e o mundo. Acreditam que só sendo perfeitos poderão ser aceitos por Deus e pelos seus irmãos.
Você já lutou para conquistar algo, para tirar nota 10 e só conseguir um 8; e depois ouvir de seus pais que a nota foi boa, mas que você pode ser melhor. Ai, você resolve ser melhor, estuda, estuda, estuda, tira um 10 e seus pais dizem: “a prova foi fácil, essa escola ajuda todo mundo”. Que frustrante. Você passa no vestibular, aí dizem para você: “Nessa faculdade todo mundo passa, basta pagar”.
Este sentimento de frustração é guardado no coração daquele que a ouve e com o passar do tempo, ele passa a viver na tentativa de sempre satisfazer os que o cercam, na necessidade constante de receber palavras que confirmem seu bom trabalho. Estas pessoas se tornam prisioneiras da perfeição.
O que acontece com esse indivíduo quando converte? Ele vive tentando impressionar a Deus. Está sempre querendo subir no conceito diante de Deus, mas se torna uma pessoa frustrada espiritualmente, pois percebe que nunca consegue chegar a Deus através de suas obras. Por mais que faça a sempre o sentimento de culpa dizendo: “Não foi o suficiente. Não foi muito bom o que fez”.
C) Susceptibilidade – É quando a pessoa se ofende com muita facilidade – Este tipo de trauma emocional que se identifica nas pessoas que sofreram muitas magoas. Pessoas que possuam sentimentos de rejeição, de abandono. Pessoas que desejaram o amor de alguém, a admiração e afeição de outros, mas só receberam o contrário, foram humilhadas, não tratadas com dignidade, com igualdade. Essas pessoas carregam profundas cicatrizes emocionais. Passam a ver coisas que os outros não vêem, sentem a realidade de uma forma que outros não sentem.
As pessoas muito susceptíveis exigem muito agrado e por mais atenção que lhe demos, esta nunca é suficiente. Em alguns casos, elas se tornam duras e insensíveis. Por terem sofrido tantas magoas se fecham e passam a tratar mal até os que procuram se aproximar. Às vezes agem assim, porque inconscientemente querem se vingar de tanto sofrimento ou simplesmente porque querem se defender. Eu me identifico com este tipo de pessoa, pois fui assim durante muito tempo de minha vida.
Pessoas assim não aceitam que Deus reparta seu amor com outros.
D) Medo (temor) – O maior dos medos é o medo de fracassar. As pessoas que sofrem este tipo de trauma tem tanto medo de fracassar que preferem não jogar o jogo da vida. Estas pessoas buscam ficar sempre de lado, buscam sempre uma saída para não encarar as grandes decisões da vida. Procuram nunca entrar no jogo.
Grande parte deste trauma é causado pelo peso que se colocam sobre as pessoas. A sociedade, a família, exige que a pessoa seja vencedora, seja o melhor, seja perfeito, seja um grande médico, seja o melhor pastor, seja o melhor, o bam-bam. O medo de não conseguir ser o melhor os fazem fugir do jogo.
Estes tipos de pessoas tendem a fugir de Deus, tendem a se afastar dos demais irmãos, pois tem medo de não serem tão bons quantos desejam ou o quanto pensam que os outros desejariam.
E) Traumas sexuais – Geram problemas para o casamento, fazem com que o indivíduo traumatizado fuja de relações mais próximas, ou tenha relações distorcidas na área sexual.
Estas pessoas ouviram o evangelho, receberam as boas novas, mas logo o inimigo fez com suas emoções viessem a tona. O velho eu foi morto, entretanto suas mentes continuaram cheias das palavras do velho eu. Suas formas de ver o mundo, sua cosmovisão continuaram baseadas nas velhas informações contidas em suas mentes e emoções. Estas pessoas precisam ser lavadas pelo “balsamo de Gileade”, pelas águas do Espírito, pela Palavra de Deus.

2 – Princípios bíblicos gerais que devem ser observados para recebermos a cura de nossos traumas emocionais
A) Encarar o problema de frente – é necessário reconhecer que se tem o problema. Com a ajuda de Deus você pode encarar esta verdade. Para nos libertarmos do pecado precisamos reconhecer que somos pecadores (Mt 4:17; At 2:38).
Precisamos reconhecer o problema em nível do consciente. Fale dele para outra pessoa. A libertação começa quando temos a coragem de falarmos dele, isto é, encarar o problema de frente. Isto não significa sair falando de seu problema a qualquer um, mas a uma pessoa responsável e que possa te ouvir sem te julgar e condenar. Existem problemas que nunca serão solucionados enquanto não se falar dele para alguém. A Bíblia diz: (Tg 5:16) – Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados”.
B) Perguntar a nós mesmos se desejamos realmente ser curados – Foi essa pergunta que Jesus dirigiu ao paralítico que estava enfermo havia trinta e oito anos (Jo 5:6). Você deseja realmente ser curado ou só está querendo conversar sobre seu problema? Não está querendo usar este problema para despertar a compaixão dos outros?
Ao perguntarmos para nós mesmo se desejamos ser curados, estamos respondendo, se estamos prontos para pagarmos o preço necessário para que o problema seja curado.
C) Aceitar sua responsabilidade – Você poderá dizer: “eu fui vitima, essa pessoa pecou contra mim. Eu não tinha como me defender. Eu era apenas uma criança. Etc”. Possivelmente seja verdade. Mas e quanto a sua reação? E o que dizer do fato de você ter abrigado ressentimentos e ódio, ou ter se recolhido a um mundo irreal, para fugir do problema.
Síndrome de Adão e Eva – passar a responsabilidade para o outro (Gn 3:8-13).
O que você fez durante anos para resolver o problema? Não podemos ficar apenas culpando outros é necessário olharmos para nós mesmos. Se você deseja ser curado é necessário estar pronto para assumir sua parcela de culpa no problema.
D) Perdoar a todos que estão envolvidos em nosso problema – Encarar nossa responsabilidade e perdoar os outros. A razão por que algumas pessoas não conseguem perdoar seu ofensor é que, se o fizerem, estarão perdendo o último pé de apoio, e não terão mais a quem culpar. Jesus deixou bem claro que não se pode haver cura, enquanto não se der um perdão total (Mt 6:12).
E) Perdoar a si mesmo – Algumas pessoas precisam se perdoar. Se você crê que Deus já lhe perdoou e que não se lembra dos seus pecados (Is 43:25), agora deve também se perdoar.
F) Pedir ao Espírito Santo para mostrar-lhe o caminho para a cura – O Espírito poderá fazer isto por meio da Palavra, por meio de um servo ou mesmo falando ao seu homem interior. Lembre-se que o Espírito de Deus foi enviado para nos guiar a toda a verdade (Jo 16:13) e isto implica em nos levar através da verdade aos caminhos da cura. O Espírito Santo sabe o lugar certo de mexer e como mexer e Ele nos levará a cura conquistada por Cristo Jesus na cruz.

CONCLUSÃO: Jesus disse que recebeu do Pai a unção para curar os ferido de coração. Se o seu coração está ferido venha à frente para receber a unção de cura. Jesus quer restaurar seu coração nesta noite, curar suas emoções.


Pr. Cornélio Póvoa de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS