TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

FAMÍLIA 15 - PADRÕES DE DEUS PARA A FAMÍLIA

Gostaria apenas de dizer que os padrões que aqui estudaremos se baseia no conceito convencional que temos de família (Pai, mãe e filhos).
Compreendo que hoje existe novos conceitos de família, com novas dificuldades e desafios. Espero em breve poder trazer um estudo que alcance esses novos modelos de família.

PADRÕES DE DEUS PARA A FAMÍLIA.

Todo ser humano precisa de um ponto de referência que lhe sirva, ao mesmo tempo, de apoio e diretriz. Assim sendo, a família como círculo relacional mais significativo para o indivíduo, torna-se esse ponto de referência. É a família que deve oferecer ao indivíduo a confiança básica com a qual enfrentará todos os problemas e dificuldades da vida. É portanto, no contexto da família onde o indivíduo, em condições normais, forma as atitudes básicas que determinarão seu modo de conduzir-se diante da sua própria realidade social e até mesmo diante de valores transcendentes à existência material. A família é, portanto, a plataforma, o ponto estratégico que serve de base e de direcionamento da vida do indivíduo em todas as áreas do viver.

A sociedade humana para poder existir, requer certo grau de organização, pois sem ordem a sociedade humana se transforma num caos insuportável. De todas as instituições sociais responsáveis pela organização da sociedade, nenhuma é mais importante do que a família. É a família a principal responsável pelo processo de socialização do ser humano. É ela que prepara o homem para todos os tipos de inter-relação significativa no contexto social. À família tem sido legada a responsabilidade da preservação dos valores sociais, morais e espirituais, que tem por finalidade orientar e formar as pessoas. Na medida em que a família perde sua identidade, os reflexos deteriorativos são evidenciados na sociedade.

Através dos ensinos da Bíblia Sagrada, compreendemos que a família é uma instituição profundamente religiosa. As referencias bíblicas indicam esta realidade: Gênesis 2:8-25; Efésios 5:22-33; 6:1-4; Colossenses 3:18-21; 1 Pedro 3: 1-9. Existe uma relação muito intima entre a família e a igreja. Os problemas da família afetam a igreja. E a verdade contundente é que uma igreja não pode ser forte se as famílias que a compõem são fracas e desajustadas moral, emocional e espiritualmente.
Situação atual – Fenômenos ingerentes (intervenção)
Com o capitalismo veio a tecnologia e juntamente com esta o consumismo. O capitalismo gerou um processo que temos chamado de "globalização". Este fenômeno abriu a sociedade à influência de outras culturas.
De fato, isto tem significado uma mudança radical nas relações humanas a nível de "consumismo" e a nível de "objetivo". A "transitoriedade" e o "ter mais" parecem substituir a "permanência" e a "realização do ser".
Em segundo lugar, destaca-se o fenômeno da "secularização". Este fenômeno está ligado ao primeiro. Veio assegurado na corrente da ciência. Isto significou a "relativização" dos valores absolutos, reduzindo alguns componentes da pessoa – como a sexualidade, que antes era regida de uma maneira absoluta pela religião - à uma condição simplesmente "humana" e "normal". Isto, de alguma maneira, tem provocado a comercialização da sexualidade, que tem ficado divorciada do "compromisso" e do "imprimatur" (marca) da fé, e tem sido vinculada com a "humanidade" e com a "felicidade".
Um terceiro fenômeno, também parente dos anteriores, é a ingerência dos movimentos de liberação (feminina, homossexuais, etc.). Tudo isso tem desestruturado as famílias e em conseqüências desestruturando sociedades inteiras.
Diante a importância da família para o indivíduo, para a sociedade e para a igreja iniciaremos nosso estudo a partir da relação conjugal, pois não se constrói uma família saudável sem que este relacionamento seja fortalecido.
"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela".
I. Viu Deus que o homem estava só.
A) Deus - O arquiteto da Família.
Salmo 127:1 -
Gênesis 2:18-25 - "Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Havendo, pois, o Senhor Deus, formado da terra todos os animais do campo, e todas as aves do céu, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves do céu, e a todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea. Então o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu: tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o Senhor Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher, e lha trouxe. E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se á varoa porquanto do varão foi tomada. Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus, e não se envergonhavam".
O casamento é uma instituição divina.
B) A solução da solidão. Gênesis 2:18-23.
"disse mais o Senhor Deus: não é bom"
"que o homem esteja só"
far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea"
"Então, o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu"
"Tomou uma das costelas e fechou o lugar com carne"
"e a costela que o Senhor Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe"
"E disse o homem: esta afinal"
"é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa porquanto do varão foi tomada"
(Pv 18:22).
O casamento visa a felicidade do homem e da mulher.
 
 
O que acha uma esposa acha o bem, e alcançou a benevolência do Senhor
C) Quatro bases para o casamento cristão. Gênesis 2:24-25.
1) O "Deixar" - "Por isso deixa o homem pai e mãe".
É um deixar geográfico – "quem casa quer casa";
É um deixar financeiro – se auto-sustentar;
É um deixar emocional – rompimento psicológico – assumir sua própria vida;
É um deixar para o noivo e a noiva – viver para o seu cônjuge;
É um ato público – um compromisso com seu cônjuge diante a sociedade;
Produz um contexto para o crescimento – marido e mulher terão um novo caminho a percorrer;
Implica que a dependência entre pais e filhos é temporária.
2) O Compromisso - "se une a sua mulher".
É um relacionamento permanente – Vivemos numa sociedade onde a instabilidade no casamento é o que há de mais comum. As pessoas estão se separando e passando de um casamento para outro como se fosse algo normal.
É um relacionamento monogâmico – com uma só esposa – Os meios de comunicação veiculam as maiores aberrações em termos de filosofia de vida. A imoralidade, a traição, a infidelidade e o sexo fora do casamento são comportamento condenados por Deus (1 Co 6:9-10).
É um relacionamento exclusivo entre homem e mulher – Heterossexual – qualquer outra forma de relacionamento recebe a condenação de Deus (Lv 18:22; Rm 1:26-27).
3) A unidade - "tornando-se, os dois uma só carne".
Para haver unidade, são necessárias duas pessoas.
Não significa que cada um perca a sua identidade.
Não significa que o mais fraco seja dominado pelo mais forte.
Cada um continua sendo o que é, e muito mais, por ser complementado pelo outro.
Durante o período de namoro e noivado a unidade espiritual deve ser desenvolvida.
É uma expressão física.
* Uma mútua entrega – onde um vive para o outro, um compartilhar de todas as circunstâncias da vida.
4) A Intimidade - "ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam"
A intimidade espiritual.
A intimidade intelectual.
A intimidade emocional.
A intimidade física.
* O casal deve ter liberdade para expressar seus sentimentos um ao outro. Portanto o relacionamento deve se caracterizar pela transparência.

3. A importância da família para a igreja

2. A importância da família para a sociedade

1. A importância da família para o individuo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

NOTÍCIAS